Jovem autodidacta abre cervejeira em antiga escola de Póvoa de Lanhoso

A fábrica “Cerveja Com História” tem neste momento seis variedades de marca “Amphora” e prepara-se para lançar uma outra.

Foto
Em 2013, participou num festival de cerveja artesanal em Caminha e foi distinguido pelo site da especialidade “Ratebeer”

A antiga escola primária de Águas Santas, em Póvoa de Lanhoso, reabre na próxima semana transformada numa cervejeira artesanal, pela mão de um jovem empreendedor de Braga que estima produzir até 5000 litros por mês.

Autodidacta, João Palmeira, 34 anos, fez a sua primeira cerveja há pouco mais de um ano, em casa, e agora já estima que pelo menos 40 por cento da sua produção será para exportação, tendo já encomendas de países como Bélgica, Holanda, Luxemburgo e Austrália.

“Aprendi sozinho [a fazer cerveja]”, confessa.

Fazendo jus ao ditado, foi a necessidade que aguçou o engenho de João Palmeira, quando confrontado com uma situação de desemprego, após ter trabalhado quatro anos num call center.

Como não é de ficar parado, "atirou-se" ao fabrico de cerveja, neste caso juntando o útil ao agradável, já que é "apreciador" daquela bebida desde os tempos de estudante universitário.

Em 2013, participou num festival de cerveja artesanal em Caminha e foi distinguido pelo site da especialidade “Ratebeer” como a Melhor Cervejeira e Melhor Nova Cervejeira de Portugal.

As encomendas dispararam de tal forma que João Palmeira começou a não lhes conseguir dar vazão, pelo que decidiu passar da produção em casa para uma fábrica.

A Câmara de Póvoa de Lanhoso abriu-lhe as portas de uma antiga escola primária, pedindo-lhe como contrapartida, apenas, que o pessoal que empregasse fosse do concelho. Nos primeiros seis anos não vai pagar qualquer renda.

João, com o apoio de três sócios, fez as necessárias obras de adaptação do edifício, que, conjuntamente com a maquinaria, significam um investimento que ascende a pouco mais de 50 mil euros.

Na próxima semana arrancará a laboração, nesta primeira fase com apenas dois trabalhadores, mas João Palmeira admite que ainda este ano precisará de pelo menos mais um.

A fábrica “Cerveja Com História” tem neste momento seis variedades de marca “Amphora” e prepara-se para lançar uma outra, que será um tributo ao concelho de Póvoa de Lanhoso e à sua heroína, Maria da Fonte.

“Como também gosto muito de cozinhar tive a preocupação de criar cervejas que acompanhassem bem com os vários pratos”, referiu.

A Câmara de Póvoa de Lanhoso já se congratulou, em comunicado, com a distinção daquela cervejeira pelo site “Ratebeer”, sublinhando que o município “tem colaborado” com empresas e empresários para a sua fixação no concelho, pela sua importância para a economia local e para a criação de emprego.

A Câmara lembra que, aproveitando as instalações da antiga escola primária de Ferreiros, instalou ali uma incubadora de empresas.

Sugerir correcção