Coelho de Jade morreu durante a sua segunda noite lunar

O robô da agência espacial chinesa, que partiu há seis semanas para uma missão de três meses na superfície da Lua, foi oficialmente declarado “morto” esta quarta-feira.

Um modelo de <i>Yutu</i>
Foto
O óbito do Coelho de Jade foi oficialmente anunciado Peter Parks/AFP (arquivo)

“Não foi possível, na segunda-feira, tornar a fazer funcionar plenamente o Yutu [Coelho de Jade], o primeiro robô espacial lunar da China. Os cidadãos da Net choraram-no na Weibo, o serviço de tipo Twitter da China. Yutu sofreu problemas mecânicos a 25 de Janeiro e tem sido incapaz de funcionar desde então.”

Este é o lacónico comunicado publicado quarta-feira pelo site de uma agência noticiosa estatal chinesa, noticiou online a revista New Scientist.

Coelho de Jade tinha conseguido entrar em hibernação para sobreviver aos seus primeiros 15 dias de noite lunar, refere ainda a revista britânica. Mas aquando do segundo pôr do Sol no satélite natural da Terra, não terá conseguido repetir com sucesso a operação. E na passada segunda-feira, não acordou. As temperaturas nocturnas lunares podem descer até aos 180 graus Celsius negativos.

Certos instrumentos de bordo devem ser protegidos do frio e para isso, o Coelho de Jade deveria ter recolhido o seu mastro, o que não terá acontecido – para além de se preparar a receber novamente a energia do Sol orientando um painel solar na direcção certa. Uma falha nestes mecanismos, talvez causada pelas poeiras da Lua, explica ainda a New Scientist, teria sido suficiente para deixar o robô definitivamente incapacitado.
 
 

Sugerir correcção