Animação portuguesa candidata aos prémios de cinema Goya

O gigante, de Júlio Vanzeler e Luís da Matta Almeida, está nomeado para a categoria de "Melhor curta-metragem" nos prémios de Espanha.

Foto

A curta-metragem portuguesa de animação O gigante, de Júlio Vanzeler e Luís da Matta Almeida, está nomeada para os Goya, os prémios de cinema que são atribuídos neste domingo pela Academia de Cinema de Espanha.

O filme português foi seleccionado para a categoria de “Melhor curta-metragem de animação espanhola", por ter Espanha entre os países co-produtores (além de Portugal, Brasil e do Reino Unido).

Com cerca de dez minutos e argumento de Nélia Cruz, a partir de uma ideia de Júlio Vanzeler, o filme estabelece uma narrativa sobre pais e filhos e o processo de crescimento, a partir da história de um gigante que transporta a filha no coração, sendo ele a mostrar-lhe a realidade.


 
O gigante é o primeiro filme co-realizado por Júlio Vanzeler, até aqui conhecido sobretudo como ilustrador de livros para a infância e juventude, feito em parceria com Luís da Matta Almeida, fundador da produtora de cinema de animação Zeppelin Filmes.

Este é o único filme português seleccionado para os Goya 2014, os mais importantes prémios de cinema atribuídos em Espanha. Portugal tinha apresentado uma candidatura ao Goya de melhor filme ibero-americano, com A última vez que vi Macau, de João Pedro Rodrigues e João Rui Guerra da Mata, mas a longa-metragem não chegou às nomeações finais.

A edição deste ano dos Goya é dominada por La gran familia española, de Daniel Sánchez Arévalo, nomeado em 11 categorias, entre as quais melhor filme, melhor realização e melhor argumento original.

A cerimónia dos vencedores dos prémios Goya realiza-se no domingo à noite, na capital espanhola.