Banco de Portugal audita contas de 12 grupos empresariais

Em causa estão grupos com grandes dívidas à banca, que supervisor financeiro quis saber se podem ser pagas. Grupos Espírito Santo Internacional e SGC estão entre os visados.

Foto
Jorge Miguel Gonçalves/ NFactos

O Banco de Portugal (BdP) pediu auditorias a 12 grupos empresariais com grandes dívidas à banca, noticia o Jornal de Negócios esta quarta-feira.

Entre as empresas alvo de auditoria no último trimestre do ano passado estiveram o Grupo Espírito Santo Internacional, o grupo SGC, a Prisa/Media Capital, a Impresa, a Controlinveste, a Ongoing, a Soares da Costa, a Sacyr, o grupo Lena, a Promovalor, a Artland e a Efacec, escreve o Jornal de Negócios.

O Banco de Portugal (BdP) quis comprovar se os grupos empresariais têm condições para pagar os créditos e se as garantias bancárias estavam bem avaliadas. O processo destinou-se a “evitar más surpresas na passagem da supervisão bancária para o Banco Central Europeu”.

“Foi no âmbito desta avaliação que o BdP pediu uma auditoria às contas da Espírito Santo International”, uma das holdings da família Espírito Santo, tal como tinha sido noticiado pelo Expresso.

As análises pedidas pela entidade liderada por Carlos Costa já influenciaram contas anuais do BCP e do BPI, que tiveram de reforçar as imparidades para crédito no último trimestre de 2013 face ao trimestre anterior.

O Jornal de Negócios refere ainda que as contas do BES estão “à espera de solução para diagnóstico das auditorias”.