Movimento antieuro junta portugueses e alemães

Conferência de João Ferreira do Amaral traz a Lisboa fundador do partido Alternativa para a Alemanha para debater a saída do euro

As eleições europeias ainda estão à distância de quase quatro meses, mas o debate sobre o euro já mexe. O professor de Economia e um dos principais defensores do abandono da moeda única por parte de Portugal, João Ferreira do Amaral, organiza esta quarta-feira a conferência A alternativa é a saída do euro?

O título não é inocente: remete para o recém-criado partido Alternativa para a Alemanha (AfD), que concorreu às últimas eleições legislativas no país germânico defendendo que o euro está a colocar em causa a integração europeia. Nas legislativas do ano passado, o AfD ficou a 0,3% de conseguir um lugar no Bundestag.<_o3a_p>

Ao lado de Ferreira do Amaral, no auditório da Faculdade de Direito de Lisboa estará a principal figura do partido alemão, o professor da Universidade de Hamburgo Bernd Lucke, além de Nuno Cunha Rodrigues (professor da Faculdade de Direito) e o empresário Wolfgang Kemper, da empresa Filkemp.<_o3a_p>

A iniciativa surge poucos dias depois do jornal i ter noticiado a preparação de uma candidatura antieuro para as europeias de 17 de Maio. Em campo está já o movimento Portugal Independente, que pretende assumir um discurso crítico em relação à moeda única. A ideia não é defender a saída da União Europeia, mas antes suscitar o debate sobre os limites dessa pertença sob o lema “Por um Portugal soberano e livre”.

O objectivo é aliciar parte do eleitorado que se mostra mais descontente com o papel da Comissão Europeia no programa de assistência financeira, tendo em conta que no universo partidário apenas o PCP tem assumido o discurso antieuro.<_o3a_p>

O movimento tem negociado com alguns partidos mais pequenos a constituição de uma coligação para concorrer às europeias, tendo já o Partido Nova Democracia (PND) assumido a sua disponibilidade. Chegou a ser noticiado que o actor Nicolau Breyner poderia encabeçar a lista, mas o próprio negou essa possibilidade. Em declarações ao Diário de Notícias, afirmou: "Não me vejo como candidato nem seria a pessoa certa para desempenhar a funçção de deputado".