Um independente sucede a Daniel Bessa na presidência da Assembleia Municipal do Porto

Vice-presidência da assembleia vai manter-se nas mãos do PS.

Rui Moreira troca acusações com Luís Filipe Menezes
Foto
Rui Moreira troca acusações com Luís Filipe Menezes Arquivo

Presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, pretende reforçar a representação feminina da mesa da nova assembleia que vier a ser eleita.

O novo presidente da Assembleia Municipal do Porto (AMP), que irá substituir o economista Daniel Bessa, que renunciou inesperadamente ao cargo esta semana, será um independente.

A nível da vice-presidência não deverá haver novidades. Ao que foi possível apurar, a ex-secretária de Estado dos Transportes, Ana Paula Vitorino (PS), vai manter-se no cargo, respeitando, assim, o acordo de coligação pós-eleitoral celebrado entre presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, e o primeiro elemento da lista do PS, Manuel Pizarro.

Rui Moreira já escolheu o deputado municipal que vai ocupar a presidência da AMP e tudo aponta que o assunto fique resolvido até sábado. Um dos nomes que ganha cada vez mais força é o de Miguel Pereira Leite, segundo secretário da mesa da assembleia municipal ainda em funções.

Miguel Pereira Leite, apoiante desde a primeira hora do independente Rui Moreira, foi indicado pelo CDS para integrar a lista para a assembleia municipal. No último mandato o seu nome foi igualmente indicado pelo partido de Paulo Portas para a lista candidata à assembleia. De resto, nas conferências de líderes o CDS era sempre representado por Miguel Pereira Leite.

Maior representação feminina
A possibilidade de André Noronha poder suceder a Daniel Bessa está cada vez mais afastada. Fonte da Câmara do Porto garantiu ontem ao PÚBLICO que Rui Moreira pretende continuar a contar com a prestação do advogado à frente da bancada independente. “Seria uma escolha com alguma lógica, mas escolhê-lo para presidente da assembleia era perder o melhor elemento da bancada dos independentes”, adiantou a mesma fonte.

A inesperada saída de Daniel Bessa – que está ainda por explicar – vai obrigar à eleição de uma nova mesa para a AMP, uma eleição que acontece três meses depois do órgão assembleia municipal ter sido empossado.

É bem provável que, desta vez, a mesa da assembleia venha a ter uma maior representação feminina. Olhando para a lista que foi sufragada pelos portuenses, em Setembro, há dois nomes que se destacam: Ana Teresa Lehmann, que foi mandatária de Rui Moreira para a área da Economia, Emprego e Inovação; e Adriana Aguiar Branco, que entregou o cartão de militante do PSD para apoiar Rui Moreira. Mas Ana Teresa Lehmann pode estar reservada para funções mais executivas. Essa parece ser a vontade do presidente da câmara.

Sugerir correcção