Opinião

Vamos para o Brasil

O Grande Ano do Brasil no PÚBLICO começa a 5 de Março, mas o blogue Brasil na Estrada já está em grande. É bom quando se anuncia uma data distante mas já há coisas para ler entretanto. Quantas vezes acontece assim?

É uma epopeia empática mas não propagandística. No domingo, a Alexandra Prado Coelho, em São Paulo, escreveu sobre os anarquistas do Black Bloc. O título era "O Bloco Negro no pelotão da frente", mas a reportagem era magnificamente cinzenta: "O alvo deles é a polícia, mas quando a violência rebenta – e, mais cedo ou mais tarde, ela acaba por rebentar – não olham para os jornalistas que estão no meio (a polícia também não)."

Joana Gorjão Henriques, em Brasília, também não se ficou por meias-medidas. Arranca muito bem: "Um enorme centro comercial, Iguatemi do Lago Norte, o mais frequentado pela classe alta de Brasília, fecha as suas lojas de luxo a um sábado à tarde. Fica cercado por polícia e por homens que olham de frente quem se aproxima."

No sábado, a mesma Joana escreveu um texto definitivo sobre o chopp, mostrando o amor e a admiração pelo Brasil que, graças a Deus (e não a nós) temos.

Fica-se com inveja da maneira séria como os brasileiros tratam da cerveja não tanto estúpida como inteligentemente gelada. O título é o lema do Armazém do Ferreira, na Asa Norte de Brasília: "O creme compensa."

Os dois vídeos de Vera Moutinho, que se acrescentam ao que Joana escreveu, mostram o que escrever nunca pode mostrar. Vá já lá.