Espanhóis instalam parque natural em Olivença que inclui parte da albufeira de Alqueva

História e cultura de Portugal, gastronomia e até as corridas de touros são pilares do projecto, a par das belezas naturais que o território preserva.

Foto
Rui Gaudêncio

A Junta Regional da Extremadura divulgou, na passada semana, os pormenores de um projecto que pretende instalar no território de Olivença o Parque Temático Natural Alqueva, que aproveita as vantagens oferecidas pela extensa albufeira, o que persiste do passado histórico e da cultura deixada pelos portugueses num território anexado por Espanha em 1801, na sequência do Tratado de Badajoz.

A região de Olivença que integra a comunidade autónoma da Extremadura, abrange uma área com 430 quilómetros quadrados e é banhada pelas águas do Alqueva numa extensão superior a 50 quilómetros, entre a confluência do rio Caia e a ribeira de Cuncos, no concelho de Mourão.

Na descrição que fez do projecto, à Agência Europa Press, a directora-geral de Turismo da Extremadura, Elisa Cruz, destacou “os recursos naturais e culturais” existentes no território oliventino, acrescidos das touradas tradicionais, o património histórico deixado pelos portugueses, assim como a gastronomia estremenho-alentejana que continua a marcar a “ligação a Portugal”.

Mas, para além da história e da tradição, o parque natural vai oferecer aos que o visitam a possibilidade de utilizar corredores ecofluviais, percorrer uma zona de especial de protecção das aves para observar a flora natural, com maior relevo para o montado de sobro e azinho e “mergulhar” nas águas da albufeira do Alqueva, onde se podem praticar actividades aquáticas (canoagem, caiaque, vela, waterball, pesca e até tomar banho numa praia fluvial).  

O voo em parapente, a pesca e a criação de percursos que incluem a visita a castelos e aldeias medievais também estão previstos no projecto dinamizado pelo Conselho de Fomento, Habitação, Ordenamento do Território e Turismo da Extremadura, em que participam os municípios de Olivenza, Alconchel, Cheles, Táliga e Villanueva del Fresno e 45 empresas da região. O centro de recepção para os que pretendam visitar o parque natural e a albufeira do Alqueva será instalado no Convento de S. João de Deus, em Olivença, um edifício que “está carregado de história”, salienta a directora regional do Turismo.

A construção de um dos mais interessantes edifícios históricos de Olivença demorou quase um século (1556-1631) e foi património da Casa de Bragança. As ligações de Olivença a Portugal serão realçadas numa das vertentes do projecto – Alqueva Cultural –, com os seus promotores a realçar a importância da “descoberta do património histórico e a cultura das comunidades (portuguesas) que rodeiam o grande lago Alqueva”.