Telemóveis: a cronologia do mercado

Foto
Zeinal Bava, presidente executivo da Portugal Telecom anuncia que a TMN passa a ser MEO Enric Vives Rubio / Público

1992 A TMN (Telecomunicações Móveis Nacionais) – o primeiro operador móvel português – entra no mercado das telecomunicações móveis com o serviço de rede móvel digital (GSM), complementando a rede analógica (existente desde 1989). A empresa, nascida em 1991, e detida em partes iguais pelos CTT, TLP e Marconi, arranca de forma comercial ao mesmo tempo que a concorrente de capitais privados, a Telecel – actual Vodafone. Em 1992, previa-se uma taxa de penetração de 5% para o ano 2000.

1996 “O telefone móvel é o grande negócio dos anos 90”, a taxa de penetração de 5% estimada para o ano 2000 é ultrapassada neste ano, com as vendas a crescerem 90%. Os 270 mil utilizadores de telemóveis quase duplicaram para 516 mil no espaço de um ano. A guerra de quotas de mercado, entre a pública TMN e a operadora dos grupos Espírito Santo e Amorim, é vencida pelos consumidores que, a par da significativa descida de preços dos produtos, ganham na qualidade dos serviços.

Em 1995, a TMN lançara o MIMO, o primeiro cartão pré-pago do mundo, e contribuira para a democratização do telemóvel, depois de, em 1993, ter lançado os serviços de voice mail e roaming e em 1994 o primeiro plano personalizado de preços. Passados dois anos, nasce a Optimus, através da união do grupo Sonae, EDP e France Telecom, que vem interferir no duopólio dos telemóveis. 

2000 Os telemóveis conquistam Portugal com uma taxa de penetração quase a chegar aos 60% e a TMN ultrapassa os 2,5 milhões de clientes, à frente da Telecel com cerca de 2 milhões e da Optimus com cerca de 1 milhão. A TMN é a primeira a comercializar a tecnologia GPRS (comuma taxa de transferência de dados superior à GSM) e comprova a sua liderança tendo todo o seu campo de actividade certificado segundo a Norma ISO 9001. Neste ano, as telecomunicações representam cerca de 4% do PIB, contrastando com a baixa contribuição do sector para o emprego nacional – 0,41%.

No ano seguinte, a Telecel reformula a sua denominação para a actual Vodafone.

2004 Vive-se a febre do envio de imagens e vídeos através do telefone, consagrando-se a TMN como o primeiro operador nacional e o terceiro na Europa a lançar o serviço de videochamada sobre a rede de terceira geração móvel.O número de utilizadores de telemóveis, que em 1990 era de 6500, ultrapassou os dez milhões neste ano, contando a TMN com uma quota de mercado de 49%, a Vodafone de 33% e a Optimus de 21%.

Este ano, os portugueses tornavam-se os campeões no que toca a comunicações móveis, proporcionando uma taxa de penetração de 106% – valor acima da média europeia de 94%. De tal forma que, em 2006, empresas de conteúdos móveis, como a norte-americana Jamba, utilizam Portugal como “tubo de ensaio” para a venda de wallpapers, toques ou jogos através de portais da internet.

2008 Até este ano, a operadora da PT lança a assinatura “Até já” e o Mobile TV, um serviço actualmente com 27 canais de televisão acessíveis através do telemóvel, iniciativas que lhe permitiram celebrar os seis milhões de clientes, em 2007. Durante este ano e, depois da separação da TV Cabo e da PT, o grupo lança o seu serviço “triple play” com a marca MEO e surge a ZON Multimédia como marca independente.

2013 A PT anuncia que os serviços prestados pela marca TMN passarão a ser prestados sob a marca MEO, tendo a TMN realizado uma alteração da sua denominação social para MEO - Serviços de Comunicações e Multimédia.