PT abandona marca TMN e foca-se no Meo

A Telecomunicações Móveis Nacionais (TMN) foi fundada em 1991 e a marca é a mais antiga do sector no país.

Uma antiga publicidade da TMN
Foto
Uma antiga publicidade da TMN Público/arquivo

A PT vai anunciar nesta segunda-feira o fim da marca TMN, passando a comercializar os serviços da operadora sob a designação Meo.

A mudança de marca será comunicada no Meo Arena (o antigo Pavilhão Atlântico) pelo presidente executivo da PT Portugal e da brasileira Oi, Zeinal Bava. A notícia da substituição das marcas tinha já sido avançada em Dezembro pelo Dinheiro Vivo.

A Meo já é usada pela empresa para comercializar serviços de televisão, Internet, telefone e, mais recentemente, a PT passou também a disponibilizar sob esta marca um pacote integrado – o M40 – que inclui telemóvel.

Muito do investimento de promoção tem sido feito na marca Meo. Para além dos anúncios publicitários, entre os quais os protagonizados pelo quarteto do Gato Fedorento, a marca passou a dar o nome ao festival Sudoeste.

A TMN é uma marca histórica. A empresa Telecomunicações Móveis Nacionais foi fundada em 1991 e é a mais antiga operadora móvel do país. Usou slogans como “Mais perto do que é importante” e “Até já”. O slogan actual é “Vamos lá”. Em 1995, a TMN lançou no mercado um cartão pré-pago chamado Mimo, uma figura que foi usada em várias campanhas publicitárias e ficou associada à marca. Já no final de 2012, a empresa lançou o tarifário pré-pago Moche, dirigido ao público juvenil. A TMN é também a líder no mercado das comunicações móveis, com uma quota em torno dos 46%, à frente da Vodafone e da Optimus.

No memorando de entendimento no qual a PT e a Oi acordaram a fusão tinha ficado expresso que depois da operação sobreviveriam as marcas comerciais, que, pela sua "elevada notoriedade", continuariam a existir "nas suas respectivas regiões de actuação".