João Ribas é o novo director adjunto do Museu de Serralves

Curador nascido em Braga tem uma carreira principalmente firmada nos Estados Unidos. Vem do Centro de Artes Visuais do MIT.

Foto

Na mesma nota, o novo director adjunto é citado a manifestar o seu contentamento por passar a integrar “a fantástica equipa” de Serralves, e diz-se empenhado em “apoiar o papel fundamental que Serralves desempenha no estímulo ao conhecimento da arte contemporânea [a partir] de uma perspectiva global”.

João Ribas foi, até ao ano passado e desde 2009, curador no Centro de Artes Visuais do famoso Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT List Visual Arts Center,) em Cambridge, Estados Unidos. Antes, entre 2007-09, tinha frequentado a New School of Social Research, em Nova Iorque, e tinha também sido curador no The Drawing Center, na mesma cidade.

Durante este percurso como curador, venceu quatro prémios de melhor exposição do ano atribuídos por instituições como a AICA (Associação Internacional de Críticos de Arte), de Nova Iorque. Publicou inúmeros trabalhos críticos e ensaísticos sobre temas como as artes visuais, a literatura e o cinema.

Entre os seus projectos mais recentes está a exposição sobre as relações da arte com a ciência In the Holocene (2012).No seu currículo, conta a organização de mais de três dezenas de exposições, entre Portugal, os Estados Unidos e outros países sobre artistas como Chris Marker, Amalia Pica, Joachim Koester, Akram Zaatari, Manon de Boer, Frances Stark, Rirkrit Tiravanija, Ree Morton e Matt Mullican.

A actividade crítica e ensaística está registada em publicações como o The New York Sun, Artforum Art in America. João Ribas tem sido também, ao longo dos anos, conferencista convidado em várias universidades e organizações, além de professor na Universidade de Yale, na School of Visual Arts de Nova Iorque e na Rhode Island School of Design.