Torne-se perito

Sporting é um dos maiores fornecedores de jogadores da Europa

Clubes portugueses estão entre os que menos apostam na formação.

Foto

A formação do Sporting tem reputação internacional. Jogadores como Cristiano Ronaldo e Figo são os “produtos” mais conhecidos da cantera “leonina”, mas não foi só de Bolas de Ouro que se construiu a fama. O Sporting tem fornecido jogadores a clubes portugueses e estrangeiros e, segundo números divulgados pelo “Observatório do Futebol” no seu “Estudo Demográfico” do futebol de 2014, está entre os clubes europeus que mais jogadores formou a actuarem nos principais campeonatos de 31 países.

Até Outubro de 2013, segundo o estudo, o Sporting era o quinto clube europeu neste “ranking”, com 52 jogadores formados em Alvalade a actuar na Europa, incluindo os oito que integram a primeira equipa. A liderar este particular está outra potência da formação, o Ajax de Amesterdão, com 69 jogadores, incluindo 12 que estão na primeira equipa. Depois, aparecem o Partizan de Belgrado (66/7), o Barcelona (61/16) e o Hajduk Split (52/13). Entre os “20 mais” dos campeonatos europeus aparece ainda o FC Porto, com 37 jogadores, mas apenas um (Josué) na equipa principal.

PÚBLICO -
Foto

Ainda assim, segundo este estudo, os clubes portugueses são entre os que menos apostam na formação – o Observatório do Futebol considera como formação um jogador que tenha estado no clube, pelo menos, três anos entre os 15 e os 21 anos. Sporting (33,3%), Marítimo (28%) e Vitória de Guimarães (23,1%) estão acima da média europeia (21,2%), sendo que a liga portuguesa aparece apenas em 28.º em 31 campeonatos, com 11,3%, apenas acima de Rússia (11,3%) Turquia (9,1%) e Itália (8,4%). Na liga portuguesa, há dois clubes que não têm qualquer jogador da sua formação (Olhanense e Arouca), enquanto FC Porto (4,2%) e Benfica (6,9%) nem sequer chegam aos dez por cento.

Quem melhor aproveita a formação é o campeonato sueco, com 38,9%, segundo da Eslováquia (37,7%) e da Finlândia (34,8%). Os húngaros do Szombathelyi Haladás lideram o "ranking" europeu, com 85,7 por cento, à frente dos escoceses do Hearts (80) e dos croatas do Osijek (77,4). Já o FC Barcelona situa-se no sexto posto, com 64 por cento.

Estrangeiros acima dos 50%
A liga portuguesa continua entre os cinco campeonatos europeus com mais jogadores estrangeiros. Segundo os números deste “Estudo Demográfico” do futebol de 2014, o principal campeonato português tem 52,1% de jogadores estrangeiro, que o coloca no quinto lugar de um “ranking” das principais ligas de 31 países. A liderar este “ranking” está o Chipre (63,8%), seguido de Inglaterra (60,4%), Itália (54,1%) e Turquia (53,1%).

Apesar de se manter entre as cinco ligas que mais jogadores estrangeiros têm, a liga portuguesa tem tido um decréscimo nos últimos anos neste capítulo:  56,2% em 2010, 55,4% em  2011 e 53,8% 2012. Entre os 399 jogadores que iniciaram a época nas 16 equipas da liga portuguesa, 208 são estrangeiros, sendo que a nacionalidade mais representada é a brasileira, com 98 jogadores – o Brasil, com 471 jogadores, continua a ser o maior exportador de jogadores para a Europa, com Portugal a aparecer em sexto lugar, com 152 representantes, 37 dos quais na primeira divisão do Chipre.

As equipas com maior percentagem de estrangeiros da liga portuguesa são Benfica e FC Porto e ambos aparecem entre as 20 equipas europeias com maior predomínio de futebolistas não nacionais. Os portistas ocupam o segundo lugar deste “ranking”, atrás do Inter de Milão (88,9%), contando com 20 futebolistas estrangeiros num plantel de 24 (83,3%), enquanto o Benfica surge em oitavo (empatado com a Fiorentina), com 23 num plantel de 29 (79,3%).

Sugerir correcção