Crónica de jogo

A tradição voltou a cumprir-se entre FC Porto e V. Setúbal

"Dragões" conseguiram o 23.ª triunfo seguido sobre os sadinos e regressaram às vitórias na Liga.

Foto

Um golo cedo encaminhou um regresso tranquilo do FC Porto aos triunfos na Liga. Jackson Martínez marcou aos 11’ ao Vitória de Setúbal, Varela aos 35’ e Carlos Eduardo fixou o resultado (3-0) na segunda metade. Com o contributo do titular Ricardo Quaresma no primeiro golo do Estádio do Dragão, os “azuis e brancos” conseguiram responder sem dificuldade às vitórias dos concorrentes Benfica e Sporting. Os sadinos não fizeram um bom jogo e somaram a quarta derrota seguida na competição.

Esta foi, no conjunto de todas as competições, a 23.ª vitória consecutiva dos “dragões” frente ao V. Setúbal e o 46.º jogo seguido sem perder. O clube setubalense não rouba pontos ao FC Porto desde 2005 e não o derrota desde 7 de Maio de 1989, dia em que o português Aparício, que chegou a ser internacional A, fez o único golo no Estádio das Antas num duelo para o campeonato.

Com Quaresma a titular no lugar de Licá, que nem no banco esteve, o FC Porto dominou o encontro sem precisar de forçar muito perante um adversário que só teve um remate de grande perigo ao longo do jogo. Para isso, ajudou que o campeão tivesse marcado na primeira oportunidade real que teve, numa jogada com a participação dos dois extremos portistas, ambos com boas exibições no primeiro tempo. Varela centrou da esquerda e Quaresma tentou um remate/centro que, depois de desviar num defesa, acabou por ser uma assistência para o goleador Jackson, mais uma vez no sítio certo.

Dos 20 minutos até ao segundo golo portista, houve o período de maior equilíbrio na partida, com Pedro Tiba, a partir da esquerda, a dar algum trabalho à defesa portuense. Varela, de cabeça, poderia ter marcado mais cedo, mas Kieszek negou-lhe o golo, após um centro de Quaresma (28’), e antes de Tiba estar perto do empate num remate em arco que Helton defendeu com dificuldade (33’).

O FC Porto resolveu efectivamente o jogo aos 35’, fruto de um grande lance individual de Varela, que aproveitou um erro dos visitantes para fazer um grande golo. O internacional português partiu longe da baliza, fintou um adversário, escapou a outro e disparou de pé esquerdo à entrada da área.

Com um Vitória de Setúbal macio e com tendência para errar passes nas transições, o FC Porto não teve dificuldade para gerir e controlar o jogo à vontade na segunda parte. A bola raramente andou perto da baliza de Helton, enquanto Kieszek teve de ser protagonista e de negar o golo a Maicon (71’) e a Josué (89’). Contudo, pelo meio (87’), nada pôde fazer para evitar o terceiro golo portista, mais um lance de grande qualidade de Carlos Eduardo, que rematou de primeira sem deixar a bola cair.  
 

Sugerir correcção