Marc Coma reforça liderança, Hélder Rodrigues mantém quinto lugar

A 11.ª etapa do Dakar não trouxe grandes novidades na frente da classificação, nas motas.

Foto
Foto: Franck Fife/AFP

Com o fim do Dakar a aproximar-se a passos largos, Marc Coma (KTM) vai cimentando a liderança nas motas e vai-se acercando do quarto título do currículo, depois dos triunfos de 2011, 2009 e 2006. O catalão venceu a 11.ª etapa da prova, com o português Hélder Rodrigues (Honda) a terminar na sexta posição.

Coma, que venceu a terceira etapa na actual edição da competição, aumentou em oito minutos a diferença que leva em relação ao segundo classificado, Joan Barreda (Honda), que está agora a 52m36s de distância.

Quanto a Hélder Rodrigues, concluiu a tirada entre Antofagasta e El Salvador no sexto lugar, a 9m23s do vencedor, e manteve a quinta posição na geral, embora mais apertado por Cyril Despres (Yamaha), que ocupa o sexto posto a menos de um minuto do português.

Roma com o caminho livre
Nos automóveis, uma decisão dos directores da Mini acabou com a luta entre Stéphane Peterhansel e Nani Roma pelo primeiro lugar. O veterano francês tinha feito uma recuperação assinalável nos últimos dias, mas nesta quinta-feira viu-se forçado a abdicar.

"Para mim, terminou. Diverti-me durante cinco dias mas a decisão vem do alto da hierarquia e agora vou ser obrigado a travar", revelou Peterhansel, à France Télévision. A Mini ordenou que se mantivessem as actuais posições, por forma a assegurar tranquilamente a totalidade do pódio. 

A não ser que seja vítima de uma avaria mecânica grave, Nani Roma (que já venceu o Dakar na categoria de motas, em 2004) sagrar-se-á vencedor na chegada a Valparaiso, no Chile, no sábado.

Nesta quinta-feira, o espanhol terminou a etapa no segundo lugar, atrás de Orlando Terranova (Mini), que tem o português Paulo Fiúza como co-piloto. Peterhansel foi quarto e está agora a 5m32s do líder, ficando o o pódio completo com Nasser Al-Attiyah (Mini), a 56m01s.