Criação de empresas em 2013 superou em 2,4 vezes os encerramentos

Dissolução de empresas caiu 20% em 2013 e os pedidos de insolvência também recuaram 7,6%.

Papéis estão associados a relatórios de quatro empresas
Foto
Constituição de empresas aumentou e dissoluções diminuiram.

Em 2013, foram constituídas 35.296 novas empresas, o que representa um crescimento de 12,8% face a 2012. O crescimento de novas empresas foi acompanhado por uma queda de 20% na dissolução de empresas, revelam os dados da Informa D&B, divulgados esta terça-feira.

De acordo com a Informa D&B, 2013 é também o primeiro ano, desde 2009, em que as insolvências registam uma descida face ao ano anterior, em 7,6%, e o primeiro ano em que esta redução se verificou em todos os trimestres. Entre 2012 e 2013 as dissoluções de empresas descem 20%.

Segundo Teresa Menezes, directora geral da Informa D&B, "se combinarmos o aumento de constituições de novas empresas com a redução de encerramentos, verificamos que alcançamos a melhor taxa de nascimentos por encerramento desde 2009, ou seja 2,4 novas empresas por cada empresa dissolvida, o que significa um aumento de 41% face a 2012”.

Entre as empresas criadas, 16.019 empresas (+25% que em 2012) foram constituídas com capital social inferior a 5000 euros e foram estas que mais contribuíram para a constituição de novas empresas. O capital social médio destas empresas foi de 1008 euros.

Segundo os dados da D&B, os sectores que lideraram os maiores crescimentos em constituições em 2013 são também aqueles que apresentam maiores números de novas empresas em termos absolutos: serviços, retalho, alojamento e restauração.

No sector dos serviços foram criadas 11.079 empresas, quase um terço do total, o que representa um crescimento de 14% face ao ano anterior.

O sector do retalho representa 16% do total de constituições em 2013, tendo crescido 18% face ao ano anterior, com 5641 novas empresas.

No sector do alojamento e restauração, que representa 11% do total, foram criadas 3712 novas empresas, um aumento de 14% face a 2012. Neste sector, a restauração regista um crescimento significativo, com 3216 novas empresas criadas em 2013, mais 435 do que em 2012, o que equivale a um crescimento de 16%.

Em termos geográficos, o Norte liderou em número de constituições de novas empresas: 12.720 novas empresas em 2013, o que representa 36% do total nacional e um crescimento de 14% em constituições.

A região de Lisboa registou 11.327 constituições de empresas, que correspondem a 32% do total e a um aumento de 11% face ao ano anterior. Na região Centro foram constituídas 6183 novas empresas em 2013, 18% do total do ano e que correspondem a um aumento de 11% face a 2012.

Os dados da Informa D&B mostram ainda que, associados à constituição de novas empresas, cresce igualmente o número de empreendedores e a iniciativa individual.

As 35.296 novas empresas constituídas em 2013 envolvem 46 256 empreendedores, mais 10% do que em 2012. E a constituição de sociedades unipessoais cresceu 22% face ao ano anterior, representando metade  das novas empresas constituídas em 2013.

Dissoluções em queda
No último ano, o aumento das constituições de empresas foi acompanhado pela diminuição das dissoluções e insolvências, após um ano de 2012 que tinha registado um aumento de 17,5% no encerramento de empresas.

As dissoluções de empresas registaram uma descida de 20% face a 2012, com um total de 14 504 dissoluções, depois dos 18.122 encerramentos registados em 2012.

No mesmo período, as insolvências desceram 7,6%, sendo o primeiro ano a registar um decréscimo desde 2009.

A descida das dissoluções é generalizada a todo o país (excepto na Região Autónoma dos Açores) e a todos os sectores de actividade, mas os serviços, a construção, o retalho e as indústrias transformadoras são os sectores onde se verificaram maiores reduções nas dissoluções face ao ano anterior.

Os dados da Informa D&B mostram que 42,6% dos encerramentos ocorreram em empresas adultas (entre 6 e 19 anos), 42,5% nas jovens empresas (até 5 anos) e 15% nas empresas maduras (com 20 ou mais anos). E foi nas empresas adultas que se verificou a maior redução (21,8%). Nos outros escalões, as empresas jovens registam uma descida de 18,8% e as empresas maduras de 17,9%.

Em 2013, o número de empresas com processos de insolvência iniciados neste ano foi de 5 473, representando 1,1% do tecido empresarial (o estudo da Informa D&B analisa empresas, não incluindo empresários em nome individual nem particulares).

A apresentação à insolvência desce 11%, representando 80% da redução do número de insolvências de 2013 quando comparado com o ano de 2012. As insolvências requeridas por terceiros também reduzem ligeiramente (-3%).

Nas insolvências é relevante referir ainda que o processo especial de revitalização - "PER", introduzido em Abril de 2012, teve 385 empresas a recorrerem ao mesmo em 2012 e 985 empresas em 2013.

Os sectores que mais contribuíram para a descida registada são as indústrias transformadoras (-262 empresas), a construção (-204 empresas) e as grossistas (-127 empresas). O sector que lidera as insolvências em 2013 é a construção, com 1 087 processos, ainda assim menos 16% que no ano anterior.

O Norte continua a ser a região com maior número de insolvências, com 2 239 processos (41%) em 2013, seguida de Lisboa com 1 475 (27%) e o Centro com 1 136 (21%).
 
 
 

Sugerir correcção