Os problemas de saúde de Eusébio

Foram vários os problemas de saúde que Eusébio da Silva Ferreira teve de ultrapassar ao longo dos últimos anos.

Eusébio após sair do hospital num dos seus internamentos
Foto
Eusébio após sair do hospital num dos seus internamentos Enric Vives-Rubio

O ex-internacional português sofria de aterosclerose - espessamento e perda de elasticidade da parede arterial - e tinha tendência para níveis elevados de colesterol. Apresentava, ainda, sintomas de hipertensão. Maleitas que obrigaram à sua hospitalização em 2007, 2011 e 2012.

Em Abril de 2007, Eusébio esteve pela primeira vez internado no Hospital da Luz, em Lisboa, onde lhe foram diagnosticadas "lesões significativas nas artérias carótidas internas". Por outras palavras, "lesões obstrutivas das artérias que irrigam o cérebro", segundo explicou, na altura, o cirurgião vascular que o observou, Germano do Carmo.

Depois de alguns dias internado, o “Pantera Negra” foi sujeito a uma operação à artéria carótida esquerda, como prevenção de um eventual Acidente Vascular Cerebral (AVC). Os médicos aconselharam Eusébio a alterar os hábitos de vida e Eusébio foi claro quanto às mudanças."Quem é que não gosta de viver?", questionou, deixando a garantia de que iria seguir as novas regras: "Vou, com calma, ter de cumprir as recomendações dos médicos", disse Eusébio à saída do hospital.

No final de Dezembro de 2011, voltaram os problemas de saúde. O ex-internacional português deu entrada nos cuidados intensivos com uma pneumonia bilateral e permaneceu no Hospital da Luz, em Lisboa, durante 13 dias, incluindo o Natal. Saiu a 31 de Dezembro mas, a 4 de Janeiro de 2012, voltou a ser internado devido ao agravamento do seu quadro clínico. O ex-futebolista sentiu dores e problemas respiratórios. O diagnóstico apontou para um caso de cervicalgia aguda, isto é, uma lesão muscular no pescoço, geralmente assimétrica. O caso chegou a assustar o "Pantera Negra", mas que as palavras tranquilizadoras do médico acalmaram-no: "Perguntei se era grave e o médico disse-me que não, que tinha tratamento e que ia sair do hospital como novo", confessou.

Contudo, as complicações de saúde de Eusébio não ficaram por aqui. Pela terceira vez em dois meses e meio, o ex-jogador do Benfica era obrigado a voltar ao mesmo hospital, agora por causa de uma crise hipertensiva (tensão arterial elevada). Passados dois dias, Eusébio voltava a sair da unidade hospitalar. A sua pressão arterial regressara ao normal. E Eusébio foi directamente ao seu restaurante favorito, o 'Adega da Tia Matilde'".

A 23 de Junho de 2012, o também embaixador da selecção nacional, que se encontrava com a equipa no Europeu de Futebol, na Polónia e Ucrânia, teve uma indisposição quando estava no hotel, onde a comitiva nacional estagiava, em Opalenica. Eusébio foi levado de urgência para o hospital de Poznan, na Polónia, mas teve que ser transportado de avião para Lisboa, regressando ao Hospital da Luz.

A indisposição sentida pelo “Pantera Negra” na Polónia ficou a dever-se a um AVC. Só passados 14 dias teve alta hospitalar mas continuou a ter assistência médica no domicílio por vários dias. De acordo com fonte hospitalar, o ex-jogador de 70 anos, pediu que a sua saída fosse discreta, o que aconteceu. Eusébio saiu pelas traseiras, em veículo particular, sem alaridos.

Neste domingo, contudo, aos 71 anos Eusébio não resistiu a mais uma traição do seu corpo e morreu às 4h30, vítima de paragem cardio-respiratória. Eusébio estava em casa, sentiu-se mal por volta das 3h30 da manhã e foi chamado o INEM, mas foi impossível mantê-lo vivo.
 
 

Sugerir correcção