Michael Schumacher em “estado crítico” após sofrer acidente de esqui

Em comunicado, o Hospital de Grenoble informou que o alemão chegou “em coma” e “sofreu um traumatismo craniano grave”.

Schumacher a esquiar, em 2005
Foto
Schumacher a esquiar, em 2005 Patrick Hertzog/AFP

Michael Schumacher está em estado considerado "crítico" após ter sofrido neste domingo um traumatismo na cabeça que terá provocado ao ex-piloto uma hemorragia cerebral. O alemão, de 44 anos, sofreu uma queda quando esquiava na estância de Méribel, em França, e estava consciente quando foi transportado para o Hospital de Moutiers, a cerca de 15 quilómetros do acidente. No entanto, o estado de saúde do recordista de títulos mundiais de Fórmula 1 terá piorado, o que motivou a transferência do germânico para o Hospital Universitário de Grenoble onde chegou "em coma" e foi de imediato submetido a uma "intervenção neurocirúrgica".

Segundo as informações conhecidas, Schumacher, sete vezes campeão do mundo de Fórmula 1, embateu com a cabeça numa rocha, quando esquiava fora da pista da estância de Méribel, nos Alpes franceses. O acidente provocou ao piloto, que estava acompanhado pelo filho, um "traumatismo cerebral grave", apesar de o alemão usar capacete.

Na primeira informação oficial fornecida, Christophe Gernignon-Lecomt, director da estância de esqui de Méribel, referiu à imprensa francesa que Schumacher estava "consciente" e "que o acidente não foi grave": "Ele caiu às 11h07, quando esquiava fora da pista de Méribel. Usava capacete e embateu numa rocha. Os serviços de emergência intervieram rapidamente e ele foi transportado de helicóptero para o hospital de Moûtiers. Estava abalado, um pouco aturdido, mas consciente."

No entanto, o prognóstico de Gernignon-Lecomt, que referiu que era desaconselhado esquiar fora das pistas, acabou por não se confirmar. Após realizar os primeiros exames no hospital de Moûtiers, verificou-se que a gravidade das lesões sofridas pelo alemão eram "muito graves" o que motivou a sua transferência imediata para Grenoble, onde foi submetido a uma "intervenção neurocirúrgica".

Num curto comunicado divulgado ao final da noite, o hospital limitou-se a confirmar que o estado de saúde do alemão é preocupante: “O senhor Schumacher foi admitido no centro hospitalar de Grenoble às 12h40, após um acidente de esqui sofrido em Méribel ao final da manhã. Ele sofria à sua chegada de um traumatismo craniano grave, com coma, e foi submetido imediatamente a uma intervenção neurocirúrgica. Ele está em estado crítico.”


Segundo o jornal alemão Bild, o neurocirurgião Gerard Saillant, amigo pessoal de Schumacher, terá viajado de Paris para Grenoble, para acompanhar directamente o processo.

Schumacher, que abandonou definitivamente a Fórmula 1 em 2012, é um enorme entusiasta de esqui e é dono de uma casa em Méribel, local do acidente.

O alemão já tinha sofrido um grave acidente na Fórmula 1, em 1999, quando partiu uma perna num despiste durante o Grande Prémio de Inglaterra. Já depois da sua primeira retirada da Fórmula 1 (em 2006), Schumacher teve em 2009 um grave acidente de moto, em Espanha, sofrendo lesões na coluna e pescoço.

O estado de saúde do alemão já motivou várias reacções. Oliver Panis, ex-piloto francês, deslocou-se ao hospital e manifestou a sua "inquietação" com a situação de Schumacher. No Twitter, Felipe Massa, ex-colega de equipa, escreveu: "Que Deus te proteja, meu irmão".