Opinião

Proteja o fígado

Graças ao sócio pjern do Metafilter tomei conhecimento do artigo escrito sobre o consumo alcóolico de James Bond no British Medical Journal (BMJ). O artigo tem o desconcertante equilíbrio de humor e de seriedade que diverte tanto quanto convence. Leia-o aqui: http://www.bmj.com/content/347/bmj.f7255.

Sabe-se que James Bond, erradamente, sacudia os martinis (que, ainda por cima, eram de vodka e não de gin) em vez de mexê-los. Daí o título do estudo: "Were James Bond's drinks shaken because of alcohol induced tremor?" Falta ali um hífen entre alcohol e induced, mas pode ser um resultado de excesso de sobriedade dos autores: Graham Johnson, Indra Neil Guha e Patrick Davies.

Chegam à conclusão que James Bond consumia quatro vezes mais do que o máximo recomendado para um adulto do sexo masculino. Corria assim um risco elevado de morrer por causa dos copos.

Concluem, com uma concisão nunca dantes vista, todos os factos científicos que se sabem sobre os efeitos do álcool. Mas, ao mesmo tempo, gozam com os preconceitos arreigados da nossa cultura, incluindo um cartaz informativo com a silhueta de Bond e o cabeçalho The Man with a Golden Liver.

Os três médicos e autores resolveram a clivagem entre o bom senso puritano e a libertinagem criativa. Fazem-nos rir e pensar.

O fígado é o orgão que limpa e lava todo o lixo que ingerimos. Mas também pode ser envenenado, com a cumplicidade da nossa cultura beberrona e dos nossos cérebros viciados.