PSD pede descontos nas portagens da A19 para evitar danos no Mosteiro da Batalha

Comissão distrital de Leiria quer que seja adoptado um regime idêntico ao aplicado nas ex-Scut, como forma de diminuir a circulação no IC2 junto ao Mosteiro da Batalha.

Foto
Paulo Ricca

A Comissão Política Distrital de Leiria (CPDL) do PSD apelou ao Governo para que introduza um sistema de descontos no valor das portagens na A19, que liga Leiria à Batalha, devido aos danos que a circulação rodoviária no IC2 poderá provocar no Mosteiro da Batalha.

Em comunicado, a CPDL, liderada por Fernando Costa, dá nota da sua "preocupação relativamente aos constrangimentos ambientais resultantes da circulação rodoviária na zona frontal do Mosteiro da Batalha, património da humanidade classificado pela UNESCO".

Os sociais-democratas apelam ao Governo para que "considere a adopção de um regime de modulação do valor das taxas de portagens na auto-estrada A19, idêntico ao aplicado nas concessões ex-Scut". Além disso, "por razões de coesão territorial", pedem que seja adoptado o mesmo sistema para a A13, aplicável ao tráfego local no troço entre Alvaiázere, Ansião e Penela.

O regime proposto pela CPDL consiste num sistema de descontos de 10% no valor das taxas de portagens nos dias úteis, entre as 7h e as 21h, e uma redução de 25% nos dias úteis entre as 21h e as 7h, assim como aos sábados, domingos e feriados nacionais.

No mesmo comunicado, que surgiu após a primeira reunião da CPDL depois das eleições, o PSD anunciou ainda que irá criar um Gabinete de Estudos "constituído por personalidades independentes e especialistas" na educação, ciência, cultura e empreendedorismo, política industrial, economia verde (ambiente, energia e ordenamento do território), áreas que a comissão política considera "prioritárias".

Deste modo, "a CPDL assume como prioridade política o crescimento económico e a coesão social e territorial", entendendo ser "fundamental assegurar o cumprimento dos objectivos de consolidação orçamental, essenciais à libertação de recursos para a economia".