Poluição aumenta em Atenas por causa das lareiras

Recurso a lenha, em vez de aquecedores a óleo, deixa autoridades gregas preocupadas.

Na capital da Grécia, os automóveis foram sendo substituídos pelos transportes públicos
Foto
Na capital da Grécia, os automóveis foram sendo substituídos pelos transportes públicos Reuters

As autoridades gregas estão preocupadas com o nível a que a poluição em Atenas chegou no último fim-de-semana. A razão é simples, devido à crise económica, os cidadãos recorrem cada vez mais ao aquecimento através de lenha, em vez de dos habituais aquecedores a óleo. Este é o segundo ano em que tal acontece.

O ministro do Ambiente pediu aos habitantes da capital para "reduzirem a utilização de lareiras", devido à poluição do ar. Os níveis seguros de concentração de partículas devem estar abaixo dos 50 microgramas por metro cúbico, mas este fim-de-semana subiu aos 102.

O fenómeno ocorreu, pela primeira vez, no Inverno passado, em Dezembro, quando o imposto subiu, obrigando muitos atenienses a renunciar ao aquecimento a óleo. Na altura, a concentração das partículas suspensas no ar aumentou para 150 microgramas por metro cúbico.

Para fazer face a este problema, o Governo decidiu recentemente conceder às famílias mais pobres electricidade gratuita para se aquecerem nos dias em que a concentração de partículas chega aos 150 microgramas por metro cúbico.

Além da poluição, as autoridades também estão preocupadas com o aumento dos cortes ilegais de árvores nas florestas.

Esta é uma poluição visível, tal como aconteceu nas décadas de 1980 e 1990 quando a capital grega foi invadida por automóveis, quando este se tornou o transporte comum dos seus habitantes. A crise económica teve o impacto de, em 2010, ter contribuído para a diminuição da poluição atmosférica devido à redução do tráfego automóvel na cidade.