Mourinho: “Para mim, a Bola de Ouro não existe”

Treinador do Chelsea recusa comentar hipótese de Ronaldo vencer prémio de jogador do ano.

Foto
Mourinho GLYN KIRK/AFP

"Na última época provei com um treinador e um jogador que os votos eram falsos e, para mim, não preciso de mais provas, um é suficiente", respondeu o técnico do Chelsea à agência Lusa, durante uma conferência de imprensa no campo de treinos do Chelsea, em Cobham, a sul da capital inglesa.

"Um jogador disse publicamente que o voto dele foi alterado e um treinador disse que o voto dele foi alterado. A partir desse momento, para mim a Bola de Ouro não existe", enfatizou Mourinho.

Em Março, em entrevista à RTP, o técnico denunciou ter havido manipulação de votos, o principal motivo por não ter marcado presença na Gala da FIFA de 2012, em Zurique.

"Se estou arrependido [de não ter ido à gala de entrega da Bola de Ouro]? Não. Claro que foi a decisão certa. Quando me ligaram mais de uma, duas, três pessoas a dizer ‘eu votei em ti' e o voto foi para outro, resolvi não ir", contou então em entrevista à RTP.

Entretanto, a FIFA negou qualquer manipulação na votação para o melhor treinador de futebol de 2012, prémio atribuído ao espanhol Vicente del Bosque.

Num curto esclarecimento enviado à agência Lusa, a FIFA garantiu que "a lista de votos está correcta", negando ter havido qualquer privilégio ao seleccionador de Espanha ou intenção de prejudicar o na altura treinador do Real Madrid.

Na mesma semana, o avançado Pandev disse ter sido um dos que contactou José Mourinho dando conta de alegadas irregularidades.

"Votei em Mourinho, sempre em Mourinho, e depois algo estranho aconteceu", disse o jogador, que foi orientado pelo português no Inter de Milão.

Segundo a lista divulgada pela FIFA, o “capitão” da selecção da Macedónia votou em Del Bosque para melhor treinador, escolhendo de seguida Roberto Mancini, do Manchester City, e Jurgen Kloppp, do Borussia Dortmund.

Na altura, José Mourinho, então treinador do Real Madrid, criticou também o facto de Cristiano Ronaldo não ter sido eleito melhor jogador de 2012, uma distinção que recaiu no argentino do FC Barcelona Lionel Messi, pela quarta vez consecutiva.

O português Cristiano Ronaldo, o argentino Leonel Messi e o francês Franck Ribéry são os três finalistas do prémio Bola de Ouro 2013, que será entregue a 13 de Janeiro. No caso dos treinadores, Mourinho ficou fora do lote dos três finalistas, formando por Alex Ferguson (ex-Manchester United), Jupp Heynckes (ex-Bayern Munique) e Jürgen Klopp (Borussia Dortmund).

Sugerir correcção
Comentar