Viver debaixo de uma cúpula com Stephen King numa televisão portuguesa

Com a estreia da série em Portugal, falámos com o protagonista de Under The Dome, Dean Norris, na sua mais recente visita a Portugal

Foto

Antes de ter o seu primeiro livro publicado, Stephen King era professor numa escola secundária norte-americana e, nos anos 1970, esboçou uma história sobre uma cúpula invisível que aprisiona uma cidade remota por razões desconhecidas. Essa história só seria publicada em 2009 sob o título Under The Dome e agora chega aos televisores portugueses. Na cidade de Chester’s Mill manda Big Jim, um vereador corrupto para cuja construção King se inspirou em Dick Cheney, o vice-presidente dos EUA nos mandatos de George W. Bush. O actor Dean Norris, escolhido para interpretar Big Jim na série televisiva, passou por Lisboa a convite do canal MOV para falar de Under The Dome, que estreia esta quinta-feira às 22h30.

“A cúpula é uma metáfora para a Terra” disse Dean Norris ao PÚBLICO, e de “como estamos todos numa cúpula com recursos limitados. Acho interessante este conceito de Stephen King onde se vê a interacção entre humanos face a uma altura de crise.”

Quando a cúpula invisível se abate sobre a cidade, gera-se o pânico entre os cidadãos de Chester’s Mill. Nessa altura, Big Jim aproveita-se dessa situação de fragilidade, assumindo-se como líder no caos. “Eu até achava que a minha personagem era um benfeitor. Que fazia o que achava melhor para os outros, embora na realidade só estivesse a cumprir as suas próprias necessidades.”

Norris, mais conhecido pelo papel de polícia Hank Schrader na série Ruptura Total, passa para o outro lado da lei ao interpretar Big Jim – e não revelamos mais. “Estou a gostar de fazer outro tipo de personagem. A diferença entre a minha personagem em Ruptura Total e Under The Dome é que o Hank consegue distinguir o bem do mal e o Big Jim simplesmente não quer saber.”

O livro de King foi apenas o ponto de partida para a série televisiva. O desenrolar da história na TV é algo modificado pelo argumentista principal e criador da série, Brian K Vaughn, mais conhecido como argumentista de banda desenhada. No entanto, Norris garante que o envolvimento de King na série tem sido constante, tal como a sua colaboração com Vaughn – que mudou o final da história. “O Stephen falou com o Brian e disse-lhe: ‘Por que é que eu não pensei nesse final?’” Segundo Dean Norris, Stephen King foi convidado a escrever o argumento para o primeiro episódio da segunda temporada. “Estamos neste momento a gravar a segunda temporada”, explica o actor num hotel em Lisboa, “mas acho que não irá acabar por aí”. 

Nesta primeira temporada, o dinamarquês Niels Arden Oplev, realizador de Millennium 1: Os Homens que Odeiam as Mulheres, está por trás da câmara no episódio piloto, que estreou nos Estados Unidos em Junho, na CBS, e que agora chega à televisão por subscrição portuguesa.

O papel de Big Jim é uma ruptura no tipo de papéis que Norris estava habituado a interpretar. Careca, entroncado e de olhar intimidante, admite ser mais procurado pelo seu perfil de típico polícia norte-americano. “Vi que encaixava nesse perfil desde que entrei no filme Arma Mortífera 2”. E depois apareceu Vince Gilligan. O argumentista e criador de Ruptura Total, também conhecido como argumentista de Ficheiros Secretos, impulsionou a carreira de Dean Norris com uma série multipremiada que chegou ao fim este Verão.

“Fico contente que Ruptura Total tenha acabado agora, enquanto ainda era relevante. Acho que a última temporada foi, sem dúvida, a melhor temporada de toda a série. A minha carreira foi catapultada por Ruptura Total”, admite, e deu-lhe a oportunidade de trabalhar com Brian K Vaughn.

Embora também tenha escrito o argumento para vários episódios da série Perdidos, Brian K Vaughn é mais conhecido como argumentista de BD em Y: The Last Man e Ex Machina, e agora como criador da série Under The Dome. Dean Norris não o conhecia. “Não sabia quem ele era na altura, fui comprar alguns livros de Y: The Last Man e adorei”, diz. “Lembro-me que na altura fomos promover Under The Dome à [convenção de cultura pop] Comic Con de San Diego e o Brian lá era um deus!” 

A série televisiva envolve vários outros grandes nomes do cinema e da TV do fantástico. Nas cadeiras de produtor executivo sentam-se senhores como Steven Spielberg, Jack Bender, realizador de Perdidos, e o próprio Stephen King. “Ele passa pelo estúdio a toda a hora”, diz Norris.  

Under The Dome e a última temporada de Ruptura Total são as duas apostas da nova grelha do MOV, onde também vão estrear as séries Vikings e Defiance, para além de novas temporadas de True Blood, Orphan Black, Continuum, Justified e Strike Back.