Ao minuto: Mundo homenageou “um gigante da história”

No Estádio FNB, no Soweto, a África do Sul e o mundo disseram adeus ao herói da luta contra o apartheid. Presidente norte-americano, Barack Obama descreveu-o como"o último grande libertador do século XX".

Fotogaleria
AFP
Fotogaleria
Reuters
Fotogaleria
Viúva de Mandela, Graça Machel, chega ao estádio AFP
Fotogaleria
Reuters
Fotogaleria
A ex-mulher de Mandela, Winnie, chega acompanhada pelos filhos Reuters
Fotogaleria
Reuters
Fotogaleria
Winnie, a ex-mulher, e Graça Machel, a viúva do ex-Presidente da África do Sul Reuters
Fotogaleria
AFP
Fotogaleria
Presidente da África do Sul Jacob Zuma cimprimenta a multidão Reuters
Fotogaleria
AFP
Fotogaleria
O ex-Presidente sul-africano Frederik de Klerk à chegada ao estádio AFP
Fotogaleria
AFP
Fotogaleria
O cantor irlandês Bono e a actriz sul-africana Charlize Theron AFP
Fotogaleria
AFP
Fotogaleria
Ban Ki-moon, secretário-geral das Nações Unidas AFP
Fotogaleria
AFP
Fotogaleria
Presidente do Brasil Dilma Rousseff uma das governantes que discursou Reuters
Fotogaleria
AFP
Fotogaleria
O presidente de Cuba, Raul Castro, chega à cerimónia fúnebre AFP
Fotogaleria
Reuters
Fotogaleria
Barack Obama cumprimenta Raul Castro. É a primeira vez, desde a Revolução Cubana, em 1959, que os líderes políticos dos EUA e de Cuba se cumprimentam Reuters
Fotogaleria
Reuters
Fotogaleria
Os Obama marcaram presença na homenagem de Estado a Nelson Mandela Reuters
Fotogaleria
Reuters
Fotogaleria
Helle Thorning Schmidt, a primeira-ministra dinamarquesa, ladeada por David Cameron, primeiro-ministro britânico, e pelo presidente norte-americano Barack Obama AFP
Fotogaleria
Reuters
Fotogaleria
Hillary Clinton cumprimenta George W. Bush, o ex-Presidente dos EUA AFP
Fotogaleria
Reuters
Fotogaleria
Reuters
Fotogaleria
O ex-Presidente, Nicolas Sarkozy, e o actual chefe de Estado francês, François Hollande Reuters
Fotogaleria
Reuters
Fotogaleria
Primeiro-ministro britânico David Cameron na cerimónia AFP
Fotogaleria
O ex-primeiro-ministro britânico John Major AFP
Fotogaleria
AFP
Fotogaleria
AFP
Fotogaleria
A Suécia está representada pela princesa Vitória e pelo primeiro-ministro Fredrik Reinfeldt AFP
Fotogaleria
O príncipe Filipe de Espanha e o príncipe Haakon da Noruega AFP
Fotogaleria
AFP
Fotogaleria
Presidente dos EUA cumprimenta viúva de Mandela, Graça Machel Reuters
Fotogaleria
AFP
Fotogaleria
Estádio ouve o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, a discursar Reuters
Fotogaleria
AFP
Fotogaleria
AFP

Foram quase quatro horas de celebração da vida de um homem que, em 95 anos, foi herói da luta contra o apartheid, o primeiro Presidente negro que quis fazer da África do Sul e um dos últimos grandes estadistas do século XX. O palco foi o Estádio FNB — mais conhecido como Soccer City — no Soweto. A chuva não chegou para estragar a cerimónia, a que se juntaram chefes de Estado e de Governo de todo o mundo.

É o início e, em simultâneo, o momento alto das cerimónias fúnebres de Nelson Mandela. Perto de 90 chefes de Estado e de Governo e celebridades de todo o mundo viajaram até Joanesburgo para se juntarem a milhares de sul-africanos na última homenagem ao histórico líder da África do Sul.