Mandela: "Morreu um dos homens mais extraordinários", diz presidente da Assembleia

PCP diz acreditar que a luta de Mandela "não se vai perder"

Assunção Esteves, presidente da Assembleia da República, destacou, na abertura do plenário, Nelson Mandela como "um dos homens mais extraordinários".

As palavras de Assunção Esteves foram proferidas na abertura da sessão plenária do Parlamento desta sexta-feira. "Vamos hoje trabalhar num dia triste. Morreu um dos homens mais extraordinários da História: Nelson Mandela", afirmou.

Os grupos parlamentares deverão apresentar um voto de pesar que será votado ainda esta sexta-feira, no final dos trabalhos. "É neste ambiente de memória e de projecto que Mandela nos merece que hoje vamos trabalhar", acrescentou a presidente da Assembleia da República. 
Já fora do plenário, o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, transmitiu a "profunda solidariedade e condolências aos "congressistas e revolucionários" pela morte de Nelson Mandela, "por tudo o que ele representou para a liberdade e democracia".

"Estamos convictos de que esta luta de Nelson Mandela não se vai perder", afirmou Jerónimo de Sousa, numa declaração aos jornalistas.

O líder comunista destacou Mandela como um "revolucionário, um patriota" e um "progressista" ao contrário de "alguns que agora o proclamam e o consideravam terrorista até 2008", referindo-se aos Estados Unidos.