PÚBLICO vence dois prémios do Observatório de Ciberjornalismo

Júri distinguiu reportagem de Joana Bourgard sobre voluntariado e infografia de Raquel Albuquerque e Dinis Correia sobre o financiamento das campanhas autárquicas.

PÚBLICO foi recentemente distinguido com prémios do European Newspaper Award, Gazeta de Imprensa, Direitos da Criança em Notícia
Foto
PÚBLICO foi recentemente distinguido com prémios do European Newspaper Award, Gazeta de Imprensa, Direitos da Criança em Notícia Nuno Ferreira Santos

O PÚBLICO ganhou em duas das quatro categorias em que estava nomeado nos prémios do Observatório de Ciberjornalismo (ObCiber): videojornalismo online e infografia digital. Saber ouvir é uma forma de voluntariado, reportagem de Joana Bourgard, e a infografia O financiamento das duas últimas campanhas autárquicas, co-assinada por Raquel Albuquerque e Dinis Correia, foram os trabalhos que reuniram a preferência do júri.

Ao todo o PÚBLICO contabilizava sete nomeações. Nas categorias que venceu estava ainda nomeado por Os detalhes da eleição do novo Papa (infografia digital) e Home: a solidão feita documentário (videojornalismo online), publicado no P3. Os trabalhos colectivos Floresta em Perigo e Filhos do Vento chegaram aos finalistas na categoria de reportagem multimédia.

O vencedor nesta categoria foi a Rádio Renascença, com um reportagem de Pedro Rios (também colaborador do PÚBLICO) e Marília Freitas sobre a freguesia de Campanhã, no Porto. A Renascença arrecadou ainda o prémio principal do ObCiber, o de excelência geral em ciberjornalismo, para o qual o PÚBLICO estava nomeado, tal como o Jornal de Notícias.

Os nomes dos vencedores foram revelados nesta quinta-feira, no final das jornadas sobre ciberjornalismo de proximidade promovidas pelo ObCiber, no pólo de Ciências da Comunicação da Universidade do Porto. A decisão foi partilhada pelo júri – composto por Hélder Bastos, Fernando Zamith, António Granado, Luís António Santos, Inês Amaral, Luís Bonixe, Xosé Pereira e Elias Machado – e pelo público, que pôde votar online até terça-feira.

A vontade popular tinha o peso de um terço na escolha do vencedor. Na principal categoria, excelência geral em ciberjornalismo, o PÚBLICO foi o que reuniu mais votos: 52,65%. A Renascença, que ganhou, ficou pelos 33,04% e o Jornal de Notícias pelos 14,31%.

Nesta sexta edição dos prémios, foram ainda distinguidos o Jornal de Notícias na categoria de última hora, com um "segundo a segundo" da demolição da torre 4 do Aleixo, e o JornalismoPortoNet na categoria de ciberjornalismo académico, pelo dossier publicado em Dezembro do ano passado sobre os dez anos do Metro do Porto.

O PÚBLICO junta estes dois prémios ao reconhecimento especial do júri no European Newspaper Award, na primeira vez que esta organização alemã atribuiu uma menção honrosa, entre os seus principais prémios, a um site. A aplicação para iPad do Ípsilon recebeu uma menção honrosa nos mesmos prémios.

Já após o reconhecimento europeu, a jornalista do PÚBLICO Ana Cristina Pereira ganhou o prémio Direitos da Criança em Notícia, pela reportagem "Em nome do interesse na criança". Nesta terça-feira, José António Cerejo, grande repórter do PÚBLICO, recebeu o Prémio Gazeta de Imprensa pelo conjunto de reportagens de investigação à empresa Tecnoforma, envolvendo Pedro Passos Coelho e Miguel Relvas.
 
 
 

Sugerir correcção