CDS acusa Soares de incitar implicitamente à violência

Nuno Magalhães sublinha a repetição das afirmações do ex-chefe de Estado para as considerar "da maior gravidade".

O líder da bancada do CDS, Nuno Magalhães, classificou como graves as declarações de Mário Soares sobre a violência, sobretudo por serem proferidas por um antigo Presidente da República.

Em declarações aos jornalistas no Parlamento, Nuno Magalhães referiu a repetição do tipo de afirmações que o antigo chefe de Estado tem vindo a fazer. "Se fosse uma vez por outra, até pelo passado do dr. Mário Soares, não teríamos qualquer tipo de comentário. Como são reiteradas, como não é a primeira vez, e implicitamente apelam à violência, nós consideramos da maior gravidade e nesse sentido não podemos deixar de tomar uma posição pública", afirmou.

Na Aula Magna, o fundador do PS aconselhou os membros do Governo a abandonarem o executivo, "enquanto ainda podem ir para as suas casas pelo seu próprio pé", caso contrário, "serão responsáveis pela onda de violência que aí virá e que os vai atingir". Mário Soares pediu a demissão do Governo e do Presidente da República.

Nuno Magalhães classificou estas afirmações como graves e lembrou que a violência não é solução. "O dr. Mário Soares bem sabe que, em democracia, a alternativa é o voto das pessoas, nunca é a violência", argumentou.