Sócrates afinal já não vai à conferência de Mário Soares

António José Seguro não estará presente, mas está a par da iniciativa desde o início.

Foto
Daniel Rocha

O líder parlamentar do PS tinha considerado esta quinta-feira "naturais" as presenças de José Sócrates e António Costa na conferência promovida pelo ex-Presidente da República Mário Soares. Mas afinal Sócrates já não vai.

Alberto Martins falava aos jornalistas na Assembleia da República, depois de questionado sobre a ausência de António José Seguro na conferência desta noite na Aula Magna da Reitoria da Universidade de Lisboa, em contraste com as presenças do ex-primeiro-ministro socialista e do presidente da Câmara de Lisboa. <_o3a_p>

"Vou representar o PS e vou representar a sua direcção, naturalmente vou representar também o secretário-geral", declarou Alberto Martins. <_o3a_p>

Interrogado sobre as presenças do ex-primeiro-ministro José Sócrates e do presidente da Câmara de Lisboa na iniciativa, intitulada "Em defesa da Constituição, da democracia e do Estado social", o líder da bancada socialista considerou-as "naturais". <_o3a_p>

"São presenças naturais. São dois eminentes socialistas e é com o maior gosto que me encontrarei com esses meus colegas e amigos", respondeu o presidente do grupo parlamentar do PS. Mas já esta tarde, Vítor Ramalho, um dos promotres da iniciativa, fez saber que afinal José Sócrates já não vai à Aula magna por motivos pessoais.

"O engenheiro José Sócrates não conseguiu compatibilizar os compromissos que tinha com o início da hora do evento", referiu o ex-secretário de Estado eVítor Ramalho.

Vítor Ramalho disse ainda que o ex-primeiro-ministro já comunicou esse impedimento pessoal a Mário Soares. 

<_o3a_p>Para além de Sócrates, Seguro também não irá. A ausência do líder do PS é lamentada, no entanto, por alguns sectores, mesmo socialistas. Em entrevista à Antena 1, Maria do Rosário Gama, presidente da Associação dos Pensionistas e Reformados ( APRe!), diz que gostaria de ver o secretário-geral esta noite na Aula Magna e apela aos partidos para que se concentrem nos problemas do país.

"Eu gostava muito que António José Seguro estivesse, mas ele não vai ouvir o meu apelo. Penso que os partidos políticos, no momento em que estamos e passados estes anos todos do 25 de Abril, deviam deixar de se preocupar com as questões estritamente partidárias e deviam olhar muito para aquilo que é o nosso país", disse.

O actual presidente da câmara do Porto, Rui Moreira, também não estará presente, mas confirmou ao PÚBLICO que irá enviar um mensagem, cujo conteúdo não quis, porém, adiantar.