Ronaldo pode ser o primeiro português a marcar golos em três Mundiais

FIFA alarga prazo de votação para a Bola de Ouro, o que aumenta as hipóteses de o avançado português em conquistar o prémio pela segunda vez.

Mais um golo e Ronaldo será o melhor marcador de sempre da selecção portuguesa
Foto
Mais um golo e Ronaldo será o melhor marcador de sempre da selecção portuguesa JONATHAN NACKSTRAND/AFP

Cristiano Ronaldo está a caminho de bater muitos recordes na selecção portuguesa. Com os três golos que marcou anteontem frente à Suécia, o madeirense igualou Pedro Pauleta na lista dos melhores goleadores de sempre da selecção (ambos somam agora 47 golos) e, mais cedo ou mais tarde, irá ser o mais internacional de sempre – está em terceiro, com 109 jogos, quase a ultrapassar Fernando Couto (110) e não muito longe de Luís Figo (127). E no Mundial do Brasil no próximo ano pode alcançar uma proeza inédita no futebol português. Pode ser o primeiro português a marcar em três fases finais de Mundiais.

Em princípio, Ronaldo não será o único português a jogar em três Mundiais – Ricardo Costa, um dos prováveis 23 de Paulo Bento para o torneio brasileiro, também jogou em 2006 e 2010 -, mas o avançado do Real Madrid já marcou nos torneios realizados na Alemanha e na África do Sul. Em 2006, Ronaldo marcou, de penálti, o segundo golo do triunfo português (2-0) sobre o Irão e, em 2010, fechou a contagem na goleada de 7-0 à Coreia do Norte. Com golos em dois Mundiais, existem apenas mais dois portugueses, Pauleta (2002 e 2006) e Simão Sabrosa (2006 e 2010) – o jogador do Espanyol ainda está em actividade, mas anunciou a sua retirada da selecção após o Mundial 2010.

Mais difícil será chegar ao recorde de golos num só Mundial. Esse foi estabelecido por Eusébio no Inglaterra 66 e está nos nove golos. Com esta sua única participação no torneio, o antigo avançado do Benfica mantém-se no topo da lista de goleadores portugueses em Mundiais. Mais ao alcance de Ronaldo estarão Torres e Augusto (ambos com 3, todos marcados em 1966) e Pauleta (4; 3 em 2002 e 1 em 2006).

Esta foi também a fase de qualificação para o Mundial em que Ronaldo marcou mais golos (8), acabando como o terceiro melhor marcador da zona europeia de qualificação, atrás do holandês Van Persie (11) e do bósnio Dzeko (10), mas com mais dois jogos no calendário. Na qualificação para o Mundial 2006, Ronaldo já havia marcado sete, mas distribuídos por seis jogos diferentes. Desta vez, foi oito em apenas quatro jogos, incluindo dois hat-tricks, frente à Irlanda do Norte e frente à Suécia. Só na fase de qualificação para o Mundial 2010 é que Ronaldo não marcou qualquer golo.

Mais tempo para votar
Pelo que fez na selecção e pelo que tem feito no Real Madrid, Ronaldo tem grandes possibilidades de ganhar a Bola de Ouro e romper os quatro troféus consecutivos atribuídos a Lionel Messi. E a FIFA, um dos organizadores deste prémio (o outro é a revista francesa France Footaball) tomou uma decisão que poderá beneficiar o português, um dos 23 nomeados, na sua disputa com o argentino, o de alargar o prazo de votação, que terminava nesta sexta-feira, até 29 deste mês. Ou seja, os seleccionadores nacionais dos membros da FIFA, os capitães dessas selecções e os jornalistas que integram o painel da France Football terão mais uma semana para decidir.

A FIFA justificou esta decisão com o baixo número de votos enviados até agora, querendo assim garantir “um número representativo de votos”, segundo se pode ler num comunicado que o organismo presidido por Sepp Blatter enviou à agência Lusa. Para além de dar mais tempo aos que ainda não votaram, esta decisão da FIFA permite ainda a quem já enviou o boletim com as suas escolhas mudar o seu voto. Neste sentido, Ronaldo poderá beneficiar do seu excelente momento de forma para mudar algumas opiniões e da época menos conseguida que Messi está a viver no Barcelona – o argentino está lesionado e enfrenta, pelo menos, mais um mês de paragem. Poderá estar a caminho o segundo troféu de melhor jogador do ano para o currículo do português, ele que conquistou este prémio em 2008, quando ainda era jogador do Manchester United.

Os nomes dos três finalistas serão anunciados a 9 de Dezembro e o vencedor será anunciado a 13 de Janeiro do próximo ano, durante a gala da FIFA, em Zurique. José Mourinho também está na corrida como um dos dez candidatos a melhor treinador do ano.