As três melhores ideias receberão depois 30 mil euros de apoio financeiro e ajuda HikingArtist.com/Flickr
Foto
As três melhores ideias receberão depois 30 mil euros de apoio financeiro e ajuda HikingArtist.com/Flickr

Ideias geniais para combater desemprego valem 30 mil euros

A Comissão Europeia lançou um desafio aos mais criativos: vai premiar as três melhores propostas combater o desemprego ou criar novas oportunidades. O prémio é de 30 mil euros, cada

"Tem uma ideia para combater o elevado desemprego? Acha que poderia melhorar as condições de trabalho de pessoas presas em empregos de baixa remuneração — seja por causa do género, idade, condição social ou deficiência?". Então este é o concurso certo para si. Quem o diz é a Comissão Europeia, que lançou agora a segunda edição do "The Job Challenge", um concurso em memória de Diogo Vasconcelos que alicia os europeus a criarem soluções para diminuir o desemprego — ou o mau emprego — e os efeitos deste flagelo na sociedade e na economia.

As três melhores ideias receberão depois 30 mil euros de apoio financeiro e ajuda, através da Academia de Inovação Social, no desenvolvimento e concretização do projecto. E não há limites para a criatividade: pode concorrer individualmente ou em grupo e até apresentar mais do que uma proposta.

As propostas devem ser apresentadas online até dia 11 de Dezembro e em Janeiro do próximo ano são divulgadas as 30 melhores ideias. Os candidatos passarão depois por várias fases de acompanhamento e selecção. Cada projecto será avaliado por um júri internacional, tendo em conta o seu grau de inovação, potencial impacto, sustentabilidade e escala (mais detalhes aqui) e os finalistas serão conhecidos em Maio de 2014.

A Comissão Europeia lembra que "poucos assuntos têm uma necessidade tão premente de inovação social, como o combate ao desemprego" e que, actualmente, "27 milhões de pessoas estão desempregadas em Estados-Membros europeus, com muitos mais milhões de subempregados, em emprego insustentável ou economicamente inactivos". Por isso, "este desafio não se trata apenas de números e estatísticas". Na primeira edição, o ano passado, foram submetidas 605 inscrições.