A histórica discoteca Jo-Jo’s fechou, mas procura renascer noutros moldes

Proprietário procura solução para reabrir a loja de discos fundada em 1978, no Porto, que não resistiu à crise do sector.

O fundador admite passar a loja da Rua de Passos Manuel aos funcionários
Fotogaleria
O fundador admite passar a loja da Rua de Passos Manuel aos funcionários Bárbara Moreira
Fotogaleria
O stock de CD e o site CDGO.com , associado à Jo-Jo’s, foram vendidos à Compact Records, da Maia Bárbara Moreira

A Jo-Jo’s Music, apresentada até agora como a mais antiga loja de discos do Porto em actividade, encerrou no último sábado. O proprietário, Artur Ribeiro, espera que o fecho seja apenas “temporário” e procura uma forma de assegurar a continuidade do projecto.

Artur Ribeiro vendeu o stock de CD e o site CDGO.com (uma loja de discos digital associada à Jo-Jo’s) à Compact Records, da Maia. Mantém a marca Jo-Jo’s e a loja na Rua de Passos Manuel, à procura de uma solução para a reactivar.

Não conseguiu manter mais tempo aberto um negócio muito afectado pela revolução que lojas digitais como a Amazon provocaram no sector. Ainda assim, acredita que há “muito mercado” para uma loja de discos, mas noutros moldes: com uma aposta em formatos como o vinil e edições de coleccionador. Certo é que, se a loja reabrir, o homem que fundou a Jo-Jo’s há 35 anos não estará na gestão por falta de “tempo”. Artur Ribeiro está concentrado na expansão de um projecto na área da restauração.

A continuidade da Jo-Jo's, que, em 2012, tinha passado da Rua de Cedofeita para Passos Manuel, depende de encontrar pessoas que prossigam o projecto enquanto "loja cultural", com espaço para pequenos concertos. Um projecto que, diz, não tem substituto, sobretudo quando a maioria das lojas de discos do Porto desapareceram.

O fundador da Jo-Jo’s estuda a hipótese de entregar a loja aos seus dois funcionários. Não encara a hipótese de o encerramento ser definitivo. “Mal seria, se ninguém aproveitava”, afirma. "Para o coleccionismo vai haver sempre lugar para meia-dúzia de lojas em Portugal, que saibam trabalhar bem a música, misturando alguns livros e merchandising e acrescentando a componente cultural ao projecto.”

 Compact pode abrir loja no Porto

A Jo-Jo’s foi pioneira em Portugal na venda digital de música, com a criação, há 15 anos, da CDGO.com, que passa agora para as mãos da Compact. “A loja do Artur sempre nos interessou. Queremos revitalizar um site com historial”, explica Abílio Silva, responsável pela empresa.

A Compact abriu, este ano, duas lojas de discos, as CDV – uma no The Style Outlets, de Vila do Conde, e outra em Leiria, salvando a conhecida Auditu. Abílio Silva quer que a CDGO.com seja mais uma forma de chegar ao consumidor final, depois de vários anos a fornecer grandes lojas digitais como a Amazon (actividade que ainda mantém).

A venda da CDGO.com envolveu a transferência para a Compact de dois funcionários responsáveis pela gestão da loja online.

A hipótese de gerir a loja física da Jo-Jo’s também foi colocada, mas Abílio Silva pô-la de parte, devido ao investimento já feito nas CDV de Vila do Conde e Leiria. “Mais tarde”, porém, “se o negócio der”, admite abrir lojas CDV no Porto e em Lisboa. “É possível haver uma loja no Porto”, garante, lembrando outros tempos: “Em 1997, eu tinha 2500 CD. Os meus sábados eram passados a comprar CD na Jo-Jo’s, na Tubitek…”