xb3/Flickr
Foto
xb3/Flickr

Associação oferece 17 bolsas para bons alunos com dificuldades financeiras

A Associação Duarte Tarré tem 15 bolsas de licenciatura ou mestrado, no valor de 800 euros, e duas de doutoramento, até 2500 euros. Candidaturas até 15 de Novembro

A Associação Duarte Tarré (ADT) foi criada há cerca de um ano e meio pelo pai do jovem que lhe deu nome, estudante no terceiro ano no Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Lisboa (ISCAL), depois deste morrer subitamente, em 2011. Manuel Tarré baptizou-a com o nome do filho, em jeito de homenagem pela sua "generosidade extraordinária", e decidiu criar 17 bolsas que ajudem jovens estudantes do ensino superior com dificuldades financeiras a prosseguir os seus estudos.

Mas, para além de solidária, esta é também uma bolsa de mérito. Como consta no regulamento, por exemplo, os alunos devem ter aproveitamento escolar: é dada "preferência a estudantes com médias superiores a 15 valores".

As bolsas têm o valor de 800 euros para licenciatura ou mestrado (há 15 disponíveis) e vão até 2500 euros para doutoramento (há duas disponíveis). As candidaturas — que devem incluir uma carta de motivação — decorrem até sexta-feira, 15 de Novembro.

Aqueles com mais probabilidade de serem apoiados são posteriormente entrevistados pela associação. Alunos do ISCAL e do Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE-IUL) têm prioridade, já que são instituições parceiras da associação.

A Associação Duarte Tarré, que pretende "abrir a jovens promissores, empenhados e ávidos de sonhos, meios que os ajudem a torná-los realidade", já ajudou 30 jovens e não descura no seu acompanhamento: "os estudantes [apoiados] ficam obrigados a enviar, no final de cada semestre lectivo, um relatório com as notas correspondentes ao semestre", de modo a confirmar que o aproveitamento escolar continua a verificar-se.

Notícia corrigida em 14/11/13 — O nome do pai de Duarte Tarré é Manuel Tarré, e não Adilson.