Bispo de Angra admite mudanças na condição dos católicos recasados

D. António de Sousa Braga espera que do próximo sínodo dos bispos sobre a família resultem mudanças na “condição e disciplina” dos católicos recasados.

Foto
Próximo sínodo dos bispos sobre a família realiza-se em 2014 Rui Gaudêncio

“Nestes dois anos, a Igreja tem de se debruçar sobre a família não numa perspectiva de mudança da doutrina, mas de uma pastoral diferente, que inclua as novas realidades”, explicou, em declarações ao portal da diocese.

De acordo com a nota publicada nesta segunda-feira pela agência Ecclesia, a agência de notícias da Igreja Católica em Portugal, o prelado considera ainda que o próximo sínodo dos bispos sobre a família apresenta duas novidades “essenciais”: terá duas assembleias gerais – uma extraordinária, em Outubro de 2014, e uma ordinária, em Outubro de 2015 – e prevê uma “auscultação mais ampla”, junto das bases, para obter “um conhecimento mais pormenorizado e abrangente do que pensa a Igreja sobre a família e, sobretudo, as novas realidades familiares”.

Para preparar este Sínodo da Família de 2014, o Papa Francisco enviou às Conferências Episcopais de todo o mundo um documento preparatório intitulado Os Desafios Pastorais sobre a Família no Contexto da Evangelização, que inclui um questionário sobre temas como divórcio, contracepção, uniões entre pessoas do mesmo sexo e adopção por parte destes casais. Embora a recolha de opiniões sobre temas actuais antes de um sínodo não seja uma total novidade, este inquérito, por pedir às bases que digam o que pensam sobre tópicos mais polémicos, mereceu maior atenção da imprensa e ganhou outros contornos. As respostas deverão ser recolhidas até ao final de Janeiro, mas os bispos reunidos a partir desta segunda-feira em Fátima deverão acertar, até quinta-feira, a forma de pôr o inquérito em prática em Portugal.