José Maria Ricciardi assume retirada de confiança a Ricardo Salgado

Voto de confiança tinha sido pedido por Ricardo Salgado para se manter na presidência do BES.

José Maria Ricciardi
Foto
José Maria Ricciardi, presidente do BESI, do grupo BES. Daniel Rocha

José Maria Ricciardi, membro do conselho superior do Grupo Espírito Santo, confirmou esta sexta-feira, em comunicado, que não deu o voto de confiança que foi pedido por Ricardo Salgado, actual presidente do BES.

O voto de confiança foi pedido por Ricardo Salgado, para continuar à frente do grupo, em reunião realizada nesta quinta-feira.

O sentido de voto foi confirmado pelo próprio José Maria Ricciardi, em comunicado, em que refere que “na sua qualidade de accionista do grupo, limitou-se a não dar ao Dr. Ricardo Salgado um voto de confiança por ele solicitado para continuar a liderar os interesses do grupo, por razões que se dispensa de revelar”.

José Maria Ricciardi refere, no comunicado, que o esclarecimento é feito “pelo facto de ter tomado conhecimento da notícia publicada no Jornal de Negócios que, entre outras considerações, reproduz um comunicado do Conselho Superior do Grupo”.

Ricciardi, que se assume como “membro do Conselho Superior do Grupo Espírito Santo”, refere ainda que “fique bem claro que não corresponde à verdade a tentativa de golpe de estado gorada” que lhe é atribuída.

A nota de esclarecimento acrescenta que “fique ainda bem entendido que sobre os accionistas do Grupo não impende o dever de lealdade institucional, tal como vem invocado no comunicado”.

A notícia do Jornal de Negócios refere que “José Maria Ricciardi tomara a iniciativa no sentido da destituição de Ricardo Salgado”. O jornal acrescenta que, por escrito, o presidente do BES garantiu  que  “o Conselho Superior (CS) do Grupo Espírito Santo aprovou uma moção que reitera a confiança na liderança executiva do Grupo na área financeira pelo Dr. Ricardo Salgado, reafirmando a sua coesão em torno dessa liderança”.

O jornal refere ainda que a moção de confiança foi unânime entre os cinco membros do CS com direito de voto, onde se inclui António Ricciardi, pai de José Maria Ricciardi.

A reunião do CS e a moção de confiança estará relacionada com a questão da sucessão de Ricardo Salgado, com 69 anos, e que termina o actual mandato em 2015.

Os principais membros da família Espírito Santo, num total de nove, têm assento no Conselho Superior, sendo que apenas cinco têm direito de voto.