Johnson & Johnson pagará multa de 1600 milhões de euros por fraude e suborno

Empresa farmacêutica e de produtos médicos chega a acordo com Departamento de Justiça.

A empresa farmacêutica, de produtos médicos e de higiene Johnson & Johnson aceitou pagar uma multa de 1600 milhões de euros para pôr fim às investigações sobre fraude e suborno, anunciou o Departamento de Justiça norte-americano.

A Johnson & Johnson era acusada de comercializar medicamentos cujo uso não tinha sido aprovado pela Food and Drugs Administration (FDA, a agência federal que regula alimentos e medicamentos nos Estados Unidos). E havia também alegações de suborno para que médicos e farmacêuticos prescrevessem medicamentos produzidos pela Johnson & Johnson.

“O comportamento neste caso pôs em risco a saúde e a segurança de doentes”, afirmou o procurador-geral, Eric Holder, sublinhando que a multa aplicada neste caso mostra o empenho em castigar “todas as empresas que violem a lei e enriqueçam em detrimento da população americana”.

Este é considerado um dos maiores escândalos de fraude no sistema de cuidados de saúde nos Estados Unidos, com a empresa a receber milhões de dólares em benefícios pagos pelo Medicaid, o programa de seguro de saúde da administração norte-americano, que se destina aos mais desfavorecidos.

Em Agosto de 2012, uma filial da Johnson & Johnson, a Janssen Pharmaceuticals, aceitou pagar 181 milhões de dólares no âmbito de um acordo amigável para encerrar um processo apresentado por 36 estados da União e do distrito de Columbia (Washington).