Companhias low cost garantem mais de 60% dos turistas no Norte

Perfil dos que chegam ao Porto, segundo estudo de 2011 e 2012, aponta para homens de 20 a 40 anos, com formação superior e oriundos de Espanha e França.

Foto
Dados compilados a partir de 4119 entrevistas Manuel Roberto

Em 2011 e 2012 mais de 60% dos turistas que visitaram o Porto e o Norte de Portugal, via Aeroporto de Francisco Sá Carneiro, viajaram em companhias de baixo custo. De acordo com um estudo realizado pelo IPDT – Instituto do Turismo, o viajante low cost que passa pelo aeroporto é homem, tem entre 20 e 40 anos, é casado, com um curso superior e provém, sobretudo de Espanha e França.

O estudo Perfil dos Turistas Internacionais do Porto e Norte de Portugal teve por base 4119 entrevistas realizadas a passageiros que se encontravam na sala de espera do aeroporto. Os dados colocam um número naquilo que já há muito é dito a partir de uma base empírica – as companhias low cost têm um enorme peso no turismo do Norte do país.

De acordo com os dados do IPDT, em 2011, 49,8% dos turistas chegaram ao Porto com a companhia irlandesa Ryanair, ao passo que a Easyjet, outra low cost, foi responsável pelo transporte de 12,3% dos turistas. À TAP couberam 25,6% dos turistas que aterraram no Sá Carneiro, número que subiu para 26,1% em 2012. Nesse ano, a Easyjet manteve a mesma percentagem e a Ryanair foi responsável, naquele aeroporto, pela entrada de mais de metade do total dos turistas, ao transportar 50,5% deles.

O estudo, realizado em parceria com o Turismo do Porto e Norte de Portugal e com o próprio aeroporto, revela ainda que o turista low cost (aquele que chega, precisamente, nas companhias de baixo custo, de acordo com os critérios do estudo), gasta, em média, 300 euros e permanece na região entre quatro e cinco noites.

Em 2012, 40,1% dos turistas revelou visitar a região “duas ou três vezes por ano” e 48,5% declararam-se “totalmente satisfeitos” com o que encontraram, prometendo 28,8% deles recomendar o destino. E o que é que os turistas fazem pelo Porto e pelo Norte? Pelo menos 83,7% andaram a experimentar a gastronomia, 54,4% apreciaram a paisagem e 38,9% compraram artesanato.

Quanto à proveniência dos turistas, em 2012, 27,5% deles chegaram de França, 27% de Espanha e 11,8% do Reino Unido. De acordo com a informação divulgada pelo IPDT, a maior parte dos turistas que viajou em companhias low cost fê-lo por motivos de lazer ou para visitar familiares e amigos. Quando pernoitam no Grande Porto, estes turistas fazem-no, sobretudo, em hotéis, reservados através da Internet. Os que dormem fora do Grande Porto ficam, maioritariamente, em casa de familiares ou amigos e, em geral, permanecem na região oito noites ou mais.