Surfista brasileiro pode ter batido recorde de McNamara em onda gigante na Nazaré

Carlos Burle voltou à água, depois de ajudar a socorrer a compatriota Maya Gabeiro.

Foto
Será que esta onda de McNamara foi batida? Reuters/Tó Mané

O surfista brasileiro Carlos Burle poderá ter batido nesta segunda-feira o recorde de Garrett McNamara (30 metros), ao surfar uma onda gigante na Praia do Norte, na Nazaré, após ter ajudado no salvamento da compatriota Maya Gabeira.

"Foi sorte. Uma pessoa nunca sabe quando vai pegar a onda. Ainda não tinha surfado nenhuma e toda a equipa já tinha apanhado onda, a Maya também que quase morreu. Para mim, foi uma adrenalina muito grande ter voltado lá para dentro depois dessa situação toda", afirmou Carlos Burle à agência Lusa.

O surfista brasileiro, de 46 anos, ainda não sabe se bateu o recorde do havaiano Garrett Mcnamara, que em Janeiro deste ano surfou uma onda de 30 metros.

Em 2011, Garrett McNamara bateu pela primeira vez o recorde da maior onda surfada, com um registo certificado pelo livro dos recordes do Guiness. Esta mesma onda valeu-lhe o prémio de maior onda da competição Billabong XXL Global BigWave Awards.

O havaiano continuou a tentar a sorte na Nazaré, tendo surfado, em Janeiro de 2013, uma onda que se acredita possa ter chegado aos 30 metros. No entanto, McNamara retirou-a do concurso da Billabong por ser “fortemente contra” o consumo de álcool e este ser patrocinado pela cerveja mexicana Pacífico.

Na altura, McNamara realçou o seu gosto pelo surf, considerando que não necessitava que um painel da Billabong medisse a dimensão da onda.

"Sei que foi uma onda muito grande, segundo o que vejo nas fotos e nas imagens. Dizem que foi igual à do Garrett mas esta não quebrou, então há uma boa possibilidade de ter batido o recorde", disse.

Carlos Burle surfou a onda gigante depois de ter ajudado a socorrer a compatriota Maya Gabeira, de 26 anos, que foi hospitalizada após surfar uma onda gigante que a deixou inconsciente.

"A situação da Maya foi horrível. É uma amiga de anos. Trabalhamos o ano todo a preparar-nos para estes momentos e sabemos que o risco de vida é iminente, mas estou feliz por ela estar viva. Tê-la visto sem respirar foi horrível", contou.

Apesar dos momentos de terror com a vida da amiga em perigo, o surfista brasileiro não desistiu.

"Todo o momento pensamos em desistir, mas ao mesmo tempo queremos ajudar e surfar estas ondas. O medo, adrenalina, felicidade, é tudo muito forte. Para mim, foi muita adrenalina voltar lá para dentro depois desta situação toda", frisou.

Passava pouco das 6h30 quando um grupo de surfistas brasileiros foi para o mar na Praia do Norte acompanhados de ‘jet-skis’ de apoio. No farol e na praia, dezenas de pessoas assistiam, debaixo de chuva intensa, às tentativas do grupo de apanhar a maior onda.

Garrett Mcnamara tentou também a sua sorte, mas acabou por ficar a dar apoio ao grupo de brasileiros no ‘jet-ski’.
O surfista havaiano está ligado à Nazaré no âmbito da Zon North Canyon Show, um projecto de três anos, iniciado em 2010, protagonizado pelo surfista e desenvolvido pela Nazaré Qualifica com o objectivo de promover a Nazaré internacionalmente como destino turístico de referência para a prática dos desportos de ondas grandes e de filmar três documentários que registam a actividade desportiva de McNamara e o quotidiano da vila.