Marques Mendes: Governo “anda apanhar bonés”

Social-democrata revelou também que o guião da reforma do Estados tem 90 páginas e chama-se “um Estado melhor”.

Foto
Marques Mendes falou aos jornalistas no Funchal Pedro Cunha

No seu habitual comentário na TVI, o antigo Presidente do PSD diz que Pires de Lima fez bem em falar no programa cautelar numa altura em que falava a investidores, considerando que esse programa “é positivo” para o país, porque “é um regresso aos mercados de forma assistida”.

“[Pires de Lima] esteve a defender o interesse nacional e foi vítima de politiquice (…). Alguns membros do governo alinharem na politiquice”, disse Mendes.

Para o também conselheiro de Estado de Cavaco Silva “o Governo não há meio de acertar no seu discurso político e na mensagem que quer passar para o país”. “Anda aos bonés. Falta uma orientação estratégica. Não há solidariedade entre ministros. É uma coligação, se aquilo correr mal vão todos ao charco. Deviam entender-se, falar a uma só voz”, acrescentou. Mendes acrescentou mesmo que “parece que há ciúmes” entre ministro. “Isto é um conjunto de adolescentes.”

O social-democrata comentou também a vontade do ministro Poiares Maduro em que a RTP volte a ter jogos da I Liga de futebol em sinal aberto. Marques Mendes começou por dizer que nesta semana existiram três dados sobre a RTP e foram “todos maus”: “Primeiro o ministro Poiares Maduro veio dizer que a RTP Internacional vai ter sede no Porto. Vem o presidente da RTP e diz não. Ministro desautorizado. Segundo, o presidente da RTP vem dizer que no gabinete do ministro há uma lista de possíveis dispensados. Vem o ministro e diz não.”

Mas para o antigo presidente do PSD, “o pior é a questão do futebol”. Lembrou que Miguel Relvas acabou com os jogos em sinal aberto na RTP por não haver dinheiro, não entendendo onde vai Poiares Maduro buscar agora o dinheiro. “Parece que as políticas são dos ministros e não do Governo. Custa muito dinheiro e anunciados por antecipação a Sport TV e a Benfica TV vão inflacionar os preços. Isto não parece de gente inteligente.”

Mendes diz ainda que isto é desconfortável para Passos Coelho e que os ministros deviam evitar esta situação. Por fim, o social-democrata tinha uma revelação a fazer: O guião da reforma do Estado que o Governo garantiu apresentar na próxima quarta-feira “tem 90 páginas” e chama-se “um Estado melhor”.