Mergulhador desapareceu enquanto apanhava bivalves na ria de Aveiro

Marinha suspendeu as buscas por falta de visibilidade, mas conta retomá-las no sábado de manhã.

Foto
Mergulho com garrafa é proibido na ria de Aveiro Nelson Garrido

Um homem desapareceu na quinta-feira à noite, enquanto fazia mergulho para apanha de bivalves na ria de Aveiro, entre S. Jacinto (Aveiro) e a Torreira (Murtosa), informou fonte da Marinha.

Em declarações à Lusa, o comandante da Capitania do Porto de Aveiro, Luciano Oliveira, disse que o alerta para o desaparecimento do mergulhador foi dado cerca das 23h00. Trata-se de um homem de 25 anos, residente na Torreira, que andaria na apanha de bivalves com recurso a garrafa de ar, uma actividade ilegal, mas em que muitos arriscam, pelo valor comercial.

Segundo o comandante Luciano Oliveira, as operações de busca começaram na quinta-feira à noite e foram interrompidas cerca das 2h00 de sexta-feira, tendo sido retomadas esta manhã. “Os mergulhadores dos Bombeiros Novos de Aveiro estiveram durante cerca de uma hora a fazer buscas subaquáticas na zona onde se supõe que o mergulhador desaparecido tenha entrado na água, mas não encontraram nada”, disse à Lusa o mesmo responsável.

O trabalho dos mergulhadores foi interrompido devido à força da corrente e à falta de visibilidade debaixo de água, estando a decorrer apenas buscas na água e em terra, com elementos da Polícia Marítima.

O comandante da Capitania do Porto de Aveiro adiantou ainda que, se as condições permitirem, as buscas subaquáticas serão retomadas no sábado de manhã com a participação de elementos das corporações de bombeiros de Aveiro, Vagos e Ílhavo.

A apanha e a captura de bivalves – à excepção da amêijoa-japonesa, berbigão e ostra – estão neste momento interditas na ria de Aveiro, bem como em toda a zona costeira até ao limite do distrito de Faro, devido à presença de toxinas que provocam diarreia, segundo o aviso emitido nesta sexta-feira pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera.