Exposição

O Verão negro e anacrónico de Bárbara Fonseca

Fotogaleria

O Verão acabou faz tempo, mas sábado, 19 de Outubro, está de regresso à Ó! Galeria, no Porto. Ou, pelo menos, o "evil twin" daqueles meses soalheiros a que estamos habituados. Tudo culpa da ilustradora Bárbara Fonseca. Melhor, do pai da ilustradora Bárbara Fonseca, o mesmo que a pôs a ver "Princesa Mononoke" num aniversário. Desta vez, depois de um Verão feliz, cheio de sol e gelados, este mesmo pai decidiu escrever uma série de histórias negras; a filha, por seu turno, trouxe-as à vida em papel. Na exposição "In Summer No One Dies", as praias são habitadas por "chapéus de sol assassinos, sereias fugitivas e perigosas peças de fatos de banho". E, só para abrir o apetite, aqui fica uma das prosas: "Caminhavam nus pela praia. A manhã estava magnífica e gozavam de uma sensação de liberdade indescritível. Foi ao passarem junto da grande rocha que dividia o extenso areal que foram atacados. O dono da loja de fatos de banho estrangulou-os, usando o cordão dos calções de homem da colecção de Primavera/Verão." Uma época balnear diferente e anacrónica, para ver até 13 de Novembro. 

Sugerir correcção