Unicer acelera na internacionalização para contrariar impacto do OE no mercado interno

Empresa arranca com produção de Super Bock no Brasil, a partir de Dezembro.

Foto
João Abecasis é o novo CEO da Unicer Fernado Veludo/Nfactos

A Unicer facturou 500 milhões de euros e quer duplicar essa valor até 2020 pelo aumento da internacionalização, explicou esta quinta-feira o novo presidente da cervejeira, João Abecasis, para quem as perspectivas para o mercado interno acabam de sofrer um novo revés com o Orçamento de Estado para 2014.

O novo presidente executivo (CEO) da cervejeira, cargo que ocupa desde Junho com a saída de António Pires de Lima para o Governo, confessou-se “desiludido com manutenção da taxa de IVA na restauração de 23%” e com o “nível de sacrifícios que voltam a ser exigidos às famílias portuguesas”.

João Abecasis, que falava num encontro com jornalistas para apresentar a estratégia de internacionalização da empresa, lembrou que depois da queda, acima de dois dígitos, em 2011 e 2012 o mercado interno estava a estabilizar em 2013. Agora, com o novo OE, o CEO da “maior empresa de bebidas portuguesa”, com fez questão de frisar, disse não “estar tão certo que o mercado se mantenha em 2014 estável como em 2013”.

Recusando-se a responsabilizar o ministro da Economia, António Pires de Lima pela não descida do IVA, o gestor admitiu já estar à espera de um agravamento do imposto sobre as bebidas, também previsto no documento. “O que sofremos em 2011 e em 2012 teve a ver com os sacrifícios exigidos aos portugueses”, defendeu, a que se junta o aumento do IVA de 13 para 23%.

João Abecasis não quantificou, no entanto, o impacto que o OE pode ter nos resultados da empresa, que facturou 500 milhões de euros no ano passado e que é líder nacional no segmento das cervejas e das águas.

A meta dos mil milhões, em 2020, será alcançada com o reforço na internacionalização. A empresa arranca com a produção da cerveja Super Bock no Brasil, em Dezembro, sob licença e com um parceiro local. A pensar nos grandes eventos desportivos que o Brasil vai promover, a Unicer estima produzir, o que acontece pela primeira vez fora de Portugal, 10 milhões de litros de cerveja nos próximos cinco anos.

Angola é apresentada como um segundo motor do avião Unicer, a que se junta Moçambique, onde a empresa pretende vender 20 milhões de litros nos próximos cinco anos.

Numa outra frente, a empresa já está a vender cerveja na Arábia Saudita.

Em Portugal, a Unicer tem em curso um investimento de 100 milhões de euros, que transforma o centro de produção de Leça do Balio no mais competitivo do Mundo.

João Abecasis entrou na Unicer em 2011, para o sector de vendas para o mercado doméstico. Anteriormente ocupou vários cargos, fora de Portugal, no grupo Unilever/Jerónimo Martins.