Silo para estacionamento está pronto e fechado junto à estação do Cacém

Foto
O auto-silo tem 305 lugares e custou 1,7 milhões de euros Tiago Machado

Parque de estacionamento pronto há anos continua fechado no Cacém. O mesmo acontece em Massamá há meses

Mais de cinco anos depois de começar a ser construído junto à estação do Cacém, e pelo menos dois depois de ter ficado praticamente pronto, o auto-silo em que a Refer gastou 1,7 milhões de euros para os passageiros da CP estacionarem os seus carros continua fechado.

O edifício de quatro pisos tem capacidade para 305 automóveis e foi erguido paralelamente à via férrea, numa zona de encosta fortemente inclinada, na qual foi necessário proceder a grandes e dispendiosas movimentações de terras. As obras, visíveis do IC19 (a via rápida que liga Lisboa a Sintra), ficaram quase prontas há perto de dois anos, altura em que faltavam apenas os acabamentos. Posteriormente, o silo ficou ao abandono, tendo sido coberto de graffiti até que no início deste ano foi pintado e concluído.

A obra foi executada no âmbito da empreitada de quadruplicação da linha de Sintra, entre as estações de Monte Abrarão e Cacém, a qual envolveu também a remodelação das estações ferroviárias de Barcarena e Cacém. Os trabalhos foram iniciados em Fevereiro de 2008 e deveriam ter acabado em Agosto de 2011.

Para desespero de moradores e comerciantes da zona, a conclusão da empreitada arrastou-se no Cacém, até que, já em Maio deste ano, o secretário de Estado dos Transportes inaugurou a estação. Por concluir ficaram, até hoje, os arranjos exteriores e o terminal de autocarros. O auto-silo, esse, continuou fechado, tal como ainda se encontra.

No caso de Barcarena, estação que serve sobretudo a zona urbana de Massamá, o panorama é idêntico. A nova estação começou a funcionar precariamente há cerca de um ano, mas no seu interior continuam por acabar e ocupar os espaços comerciais previstos no projecto, chovendo em vários locais. Já o parque de estacionamento, construído nos dois pisos inferiores da estação, encontra-se aparentemente pronto há quase meio ano, sem que as suas portas tenha sido abertas ao público.

O arrastamento dos trabalhos na estação do Cacém tem sido objecto de numerosos protestos por parte de moradores e comerciantes, mas também de utentes da linha de Sintra. De acordo com a Refer, a empresa pública responsável pelas infra-estruturas ferroviárias, a empreitada foi ali concluída, "na sua generalidade", no fim de Julho, "encontrando-se em curso alguns trabalhos de reparação de deficiências, nomeadamente no auto-silo, detectadas no âmbito das vistorias efectuadas para efeito da recepção provisória da empreitada".

Em resposta ao PÚBLICO, a empresa acrescenta que a entrada em funcionamento deste parque "ocorrerá logo que concluída a supressão das deficiências detectadas e definido, entre a Refer e a Câmara Municipal de Sintra, o modelo adequado de exploração" do espaço. Tal deverá acontecer, acrescenta, "no 1.º trimestre de 2014". Quanto o ao tarifário previsto para este auto-silo, a Refer nada adianta.

A exploração dos parques de estacionamento construídos na última década junto às estações da linha de Sintra tem-se revelado um problema insolúvel. A Refer ainda não foi capaz de encontrar uma solução capaz de atrair para os seus parques os passageiros da CP que não se mostram dispostos a pagar os preços que lhes são pedidos para estacionar.

Grande parte desses espaços, nomeadamente os que foram construídos nas proximidades das estações de Monte Abraão, Mercês e Rio de Mouro, mantém-se praticamente vazia. A Câmara de Sintra tem desenvolvido algumas diligências para resolver o problema em conjunto com a Refer, mas até agora não houve qualquer acordo.