Menezes vai renunciar ao mandato na Câmara do Porto

Amorim Pereira, a independente Mónica Baldaque e o líder demissionário do PSD-Porto Ricardo Almeida serão vereadores da candidatura Porto Forte.

Bloco de Esquerda recorre da decisão do tribunal sobre Menezes
Foto
Menezes ficou em terceiro lugar nestas autárquicas no Porto Dato Daraselia

Luís Filipe Menezes decidiu renunciar ao mandato de vereador, cargo para o qual foi eleito nas autárquicas do passado dia 29.

A decisão foi tomada ontem à noite numa reunião da candidatura do PSD à Câmara do Porto. O cabeça de lista renuncia mesmo ao mandato, mas os nomes seguintes, Amorim Pereira, a independente Mónica Baldaque e o líder da concelhia social-democrata, Ricardo Almeida - que se encontra demissionário desta estrutura partidária - vão ocupar os três lugares na vereação conquistados pelo PSD nas autárquicas do Porto.

O PSD promete exercer uma oposição construtiva na câmara.

Este foi o pior resultado do PSD no Porto desde 1976, ano das primeiras autárquicas. A candidatura Porto Forte, protagonizada por Luís Filipe Menezes obteve 21,06%, atrás da do candidato do PS, Manuel Pizarro, com 22,168% (que também elegeu três vereadores), e do vencedor do acto eleitoral, o independente Rui Moreira, com 39,25% e seis vereadores eleitos.

A exposição pública a que Luís Filipe Menezes ficaria sujeito caso ocupasse o lugar de vereador da oposição foi uma das razões que pesou na decisão de renunciar ao mandato. “Era prejudicial para a sua imagem”, afirmou fonte próxima do ex-presidente da Câmara de Gaia.

O assunto, segundo uma outra fonte, foi discutido na quinta-feira, num pequeno-almoço com os cinco primeiros elementos da candidatura Porto Forte e à noite o tema voltaria a ser analisado num encontro mais privado onde foram ponderados os prós e os contras de Menezes ocupar o lugar de vereador no executivo liderado pelo independente Rui Moreira.

De resto, no pequeno-almoço de quinta-feira o que ficou combinado foi que Menezes não assumiria funções na Câmara do Porto.

Desta forma, aquele que foi o rosto da candidatura social-democrata à Câmara do Porto não estará presente na sessão da tomada de posse do novo executivo, marcada para a tarde do próximo dia 22.