O blogue que pôs Braga a discutir o uso da bicicleta foi premiado

Foto
O projecto BUTE também foi premiado, em 2008, mas não vingou dr

Braga Cicláveldeu origem a propostas acolhidas nos programas autárquicos. Recebeu o Prémio Nacional da Mobilidade em Bicicleta

No último ano e meio, Victor Domingos andou a repetir uma ideia: "A bicicleta não é só um meio de lazer, também pode ser usada no dia-a-dia." E encontrou em Braga centenas de pessoas para quem isto fazia sentido. Juntos, criaram o blogueBraga Ciclável,e esse foi o ponto de partida para um projecto que pôs a cidade a discutir a mobilidade, apresentando propostas concretas aos actores políticos. Esse trabalho acaba de ser premiado pela Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB).

"Braga tem grande potencial para o uso da bicicleta, porque é uma cidade muito plana", expõe Victor Domingos. O centro da cidade foi pedonalizado e as pessoas usam com "relativo conforto" a bicicleta, "sem grandes conflitos com os peões", explica. Nessa área, já existem algumas centenas de utilizadores regulares de velocípedes. Os problemas estão à volta do centro. As rodovias criadas em torno da cidade - e que hoje estão integradas na sua malha urbana - são "um anel quase instransponível para os ciclistas", diz o fundador do Braga Ciclável.

Essas rodovias acabam por constituir uma barreira entre o seu centro e a área onde as pessoas vivem, o que afasta os ciclistas menos aventureiros de uma utilização ainda mais regular deste meio de transporte. "Não houve cuidado de pensar a cidade para bicicletas", defende Victor Rodrigues, apontando a ausência de sinalização para velocípedes nas ruas de Braga como uma confirmação da sua tese.

Foram estes alertas que valeram ao Braga Ciclável o Prémio Nacional da Mobilidade em Bicicleta da FPCUB, na categoria de cidadania. O galardão, que distingue iniciativas de promoção do uso da bicicleta, foi para Braga pela segunda vez, depois de em 2008 ter premiado a Universidade do Minho pelo projecto Bute (Bicicletas de Utilização Estudantil), já suspenso, que previa o empréstimo por três anos e posterior venda a preço simbólico de bicicletas a alunos.

No caso do Braga Ciclável, o prémio foi justificado pelo júri com a "grande conquista" que representou "trazer para a ordem do dia a temática da mobilidade sustentável e do uso da bicicleta como meio de transporte para todos".

No início do ano passado, Victor Domingos criou o blogue dedicado à promoção do uso da bicicleta em Braga (http://bragaciclavel.blogspot.pt/), em torno do qual se reuniram utilizadores de velocípedes na cidade, cada vez mais activos nas caixas de comentários e num grupo no Facebook com quase 500 membros. Das discussões no ciberspaço evidenciou-se a necessidade de formalizar algumas dessas preocupações, através da elaboração de um plano de promoção do uso da bicicleta em Braga. O resultado desse trabalho foi entregue no final do ano à Câmara de Braga e às principais forças políticas locais.

Entre as várias propostas ali enumeradas, duas eram consideradas urgentes. A primeira apontava para a criação de um eixo ciclável entre a estação de caminho-de-ferro, o centro da cidade e Gualtar, onde está instalado o pólo da Universidade do Minho. A segunda pedia a definição de locais de estacionamento adequado para bicicletas no centro da cidade. Quando o documento foi entregue, não havia onde estacionar os velocípedes, mas, no Verão, alguns locais de Braga receberam mobiliário urbano para o efeito, no âmbito do projecto de regeneração urbana.

Não só a câmara acolheu essa proposta como as forças políticas também perceberam a importância do debate promovido pelo Braga Ciclável. Por isso, várias das propostas sobre mobilidade urbana apresentadas pelo grupo foram incluídas nos programas eleitorais das últimas autárquicas, como a criação do tal "corredor" até Gualtar. E os pontos de estacionamento entretanto criados cedo se revelaram insuficientes face à procura. "Hoje já são mais as caras desconhecidas em cima das bicicletas do que as conhecidas", por pertencerem ao grupo mais restrito nascido à volta do blogue, nota Victor Domingos.