ICNF prepara bolsa de voluntários para ajudar na conservação da Natureza

Actualmente o instituto já tem acções de voluntariado no Alentejo.

Foto
Em Castro Verde, há voluntários para contar abetardas Nuno Ferreira Santos/Arquivo

“Estamos a dar os primeiros passos para nos organizarmos internamente e podermos ter mais gente a recorrer à nossa bolsa de voluntariado que gostaríamos de desenvolver no princípio do próximo ano”, referiu o responsável.

“As pessoas contactam cada vez mais [o ICNF] devido a estas nossas acções em todo o país e têm cada vez mais o espírito de querer participar de alguma forma, além de se associarem a organizações não governamentais na área do ambiente”, por exemplo, explicou João Carlos Farinha.

No voluntariado, “a questão é ter as coisas preparadas para eles, há muitas pessoas que pedem para ser voluntários, de forma avulsa e nós estamos a pensar, eventualmente, nos próximos tempos preparar umas pequenas bolsas de voluntariado que seriam anunciadas na nossa página de Internet e as pessoas inscreviam-se”, acrescentou João Carlos Farinha.

Actualmente, o ICNF já tem algumas acções de voluntariado com a participação em trabalhos científicos, localizadas no Alentejo, em Castro Verde e Mértola.

Em Castro Verde, os voluntários contam abetardas, uma ave “bastante interessante, mais ainda para quem gosta de fotografia”, e em Mértola o objectivo é ajudar na recolha de pequenos peixes que estão protegidos e que têm de ser retirados do rio para que evitar a sua morte, quando seca.

Por outro lado, este ano o ICNF vai ter um projecto "muito grande com os escuteiros em todo o país para plantação de árvores, com cerca de 50 mil miúdos”, realçou.

João Carlos Farinha aponta ainda o projecto de voluntariado internacional, no Norte do país, com jovens estrangeiros que pagam para vir a Portugal e são acompanhados nas aldeias onde fazem várias actividades, desde pintar muros a arranjar estradas, durante duas a três semanas.

ObservaNatura em Setúbal
O responsável falava à agência Lusa a propósito da ObservaNatura, uma feira de natureza que se realiza em Setúbal, no sábado e no domingo, para mostrar as actividades disponíveis na área do turismo natureza e que integra várias iniciativas como contacto com investigadores e esclarecimento sobre voluntariado.

Embora mais vocacionada para a actividade de observação de aves, a ObservaNatura acaba por focar outros temas do turismo natureza e nos 40 a 45 stands, a que se juntam algumas carrinhas, estão representantes actividades tão diversas como passeios de barco, caiaque, bicicleta ou de charrete.

Convidando todos a uma visita à feira, João Carlos Farinha salientou que “é uma oportunidade para as pessoas andarem de barco numa parte do rio [Sado] onde podem ver as aves que estão a chegar das suas migrações e permite contactar com ornitólogos ou observadores de aves”.

Também é possível experimentar subir num balão e ver o estuário do Sado “numa perspectiva diferente do habitual”, realizar mini cursos rápidos sobre observação de aves, identificação de plantas ou voluntariado, contactando com investigadores.

Sugerir correcção
Comentar