Na Rússia, 35% da riqueza está nas mãos de apenas 110 pessoas

Riqueza mundial disparou 68% nos últimos dez anos. Estados Unidos foram o país onde a riqueza mais aumentou entre 2012 e 2013.

Foto
A Rússia surge no grupo de países onde a riqueza média por adulto vai de 5000 dólares a 25 mil dólares ALEXEY SAZONOV/AFP

O número de milionários está a aumentar a nível global. Nos últimos dez anos, a riqueza mundial aumentou 68%, para atingir, no ano passado, um recorde de 241 biliões (milhões de milhões) de dólares (178,3 biliões de euros), segundo um relatório do Crédit Suisse.

Na Rússia, 35% da riqueza está concentrada nas mãos de apenas 110 pessoas, naquele que é, nas contas feitas por esta instituição financeira, um nível histórico de desigualdade na distribuição de rendimentos. Ao todo, concentram 420 mil milhões de dólares.

O relatório do Crédit Suisse, divulgado na quarta-feira, dá conta de que os Estados Unidos foram o país onde a riqueza mais disparou entre 2012 e 2013 (três quartos do aumento), seguindo-se a China e cinco países europeus: Alemanha, França, Itália, Reino Unido e Espanha. E até 2018 a riqueza deverá aumentar 40%, passando para os 334 biliões (milhões de milhões) de dólares.

No mesmo grupo onde estão Malta e Eslovénia, Portugal surge num patamar intermédio na contabilização média da riqueza por adulto (no nível onde se encontram, entre outros países europeus, Malta e Eslovénia, e que vai de 25 mil a 100 mil dólares por adulto – 18,4 mil a 73,9 mil euros).

Quanto à distribuição da riqueza, a Rússia surge um patamar abaixo. Ao lado de outros países populosos, como a China, a Rússia ou o Brasil, está entre os países com um nível de riqueza médio por adulto que vai de 5000 dólares a 25 mil.

Na Rússia há um milionário por cada 11 mil milhões de dólares da riqueza contabilizada, enquanto no resto do mundo este rácio é de 170 mil milhões de dólares, refere a Reuters.

Em média, a riqueza global equivale a cada adulto 51.600 dólares, mas a sua repartição está longe de ser igual. Os 10% mais ricos, por exemplo, concentram 86% de todos os activos considerados no relatório do Crédit Suisse.

Os países com mais riqueza concentrada estão na América do Norte, na Europa Ocidental e nos países ricos da Ásia-Pacífico e Médio Oriente. A Suíça lidera a lista. Em média, cada suíço tem activos no valor de 513 mil dólares (considerando património imobiliário, contas bancárias e outros bens). Na Austrália, a média é de 403 mil dólares, seguindo-se a Noruega, com 380 mil dólares, e Luxemburgo, com 315 mil.
 

Sugerir correcção