Frente Nacional consegue vitória esmagadora em eleição regional

Nas eleições cantonais de Brignoles, a esquerda reuniu pouco mais de 20% dos votos, sem que nenhum partido tenha conseguido passar à segunda volta. Extrema-direita conseguiu obter mais de 50%.

Foto
Marine Le Pen festejou o espectacular "impulso" da FN FRANCOIS NASCIMBENI/AFP

A Frente Nacional (FN) francesa venceu a primeira volta das eleições cantonais de Brignoles – no sudeste do país, entre Marselha e Nice – disputadas este domingo. Os partidos de esquerda conseguiram pouco mais de 20% dos votos e falam de resultados “muito inquietantes”.

O candidato da extrema-direita, Laurent Lopez, reuniu 40,4% dos votos e irá disputar a segunda volta, no próximo domingo, com Catherine Delzers, da UMP (centro-direita), que alcançou 20,8%. A líder da FN, Marine Le Pen, falava, citada pela AFP, de “um impulso espectacular que a FN vem registando eleição após eleição”.

Se aos votos da FN se juntar o resultado obtido por um dissidente do partido de Le Pen, a extrema-direita acaba por reunir mais de 50% dos votos nas eleições cantonais de ontem, cuja abstenção se cifrou nos 66%.

“Para a esquerda é uma reprimenda muito clara”, admitiu o porta-voz do Partido Socialista (PS), David Assouline, que apelou ao voto útil no candidato da UMP na segunda volta. Os ecologistas, que obtiveram 9% dos votos, qualificaram o resultado da FN como “muito inquietante”. “O eleitorado socialista refugia-se na abstenção, não havia sequer um candidato socialista”, referiu o senador Jean-Vincent Placé.

O co-presidente do Partido de Esquerda, Jean-Luc Mélenchon, considera que “a FN tem uma enorme capacidade de mobilização” e que “tudo o resto está em colapso”.

A coligação entre o PS e Partido Comunista Francês, centrada em Laurent Carratala, conseguiu apenas 14,6% dos votos.

Apesar de se tratar de uma região onde a FN tem tradicionalmente bons resultados, a expressão da vitória do seu candidato vem dar força ao partido de Marine Le Pen, em antecipação das eleições municipais de Março e das europeias, em Maio.

Uma sondagem publicada hoje pelo Le Nouvel Observateur revela que 24% dos franceses estaria disposto a votar numa lista da FN para as eleições municipais. As intenções de voto no partido de extrema-direira são mais elevadas junto de "populações mais frágeis e mais remotas em relação aos centros urbanos", pode ler-se na nota do instituto responsável pelo inquérito.

O ministro do Interior, Manuel Valls, iniciou esta segunda-feira uma visita pelo país, com o objectivo de travar o avanço da FN, escreve o El País. Valls é considerado o ministro mais à direita do executivo e tem feito manchetes pelas suas posições sobre a integração das comunidades ciganas.

Por ser igualmente um dos mais populares, o Presidente François Hollande não recriminou directamente as mais recentes declarações de Valls, num sinal claro de que é com ele que conta para cativar algum do eleitorado mais próximo da extrema-direita. Isto num momento em que o nível de confiança popular no Presidente ronda os 23%.