Em actualização

Vaias superam hino nas celebrações do 5 de Outubro

Bandeira é hasteada ao som de gritos a pedir a demissão do Governo,

Foto

A chegada do primeiro-ministro Pedro Passos Coelho e do Presidente da República Aníbal Cavaco Silva aos Paços do Concelho, em Lisboa, fez-se ao som de gritos a pedir a demissão do Governo.

Vários manifestantes do Movimento que se Lixe a Troika encontram-se na rua com cartazes enquanto prosseguem as comemorações do 5 de Outubro, dia da implantação da República, no interior do edifício.

Por volta das 11h10, chegava o primeiro-ministro que cumprimentou o presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, e entrou no edifício, sem olhar para os manifestantes. O mesmo fez Cavaco Silva, dois minutos depois.

Pouco depois, a bandeira era hasteada na varanda onde em 1910 se proclamou a República e o hino tocado pela GNR. As vaias ouviram-se mais alto do que o hino. Depois da bandeira nacional ter sido hasteada, os manifestantes começaram a cantar Grândola Vila Morena.

A Lusa refere que as comemorações oficiais não estão a suscitar interesse por parte dos populares, despertando apenas a curiosidade de alguns turistas que passam pela Praça do Município.

Terminada a cerimónia, um manifestante foi detido e levado pela PSP quando protestava junto aos automóveis que transportavam os responsáveis políticos. Uma hora depois, foi libertado e acusado de tentar danificar uma viatura, soube o PÚBLICO.

O feriado de 5 de Outubro foi eliminado através da aprovação de alterações ao Código do Trabalho, a 11 de Maio do ano passado, em conjunto com os feriados da Restauração da Independência (1 de Dezembro), e os feriados religiosos de Corpo de Deus (60 dias após a Páscoa) e do Dia de Todos os Santos (1 de Novembro).