Concelhia de Sintra envia lista ao PSD de militantes que concorreram contra o partido

Estatutos do partido estipula que "cessa a inscrição" dos militantes que participem em listas concorrentes

Foto
Marco Almeida, durante a campanha para a câmara de Sintra Bruno Castanheira

“Vamos enviar uma carta com todos os nomes dos militantes que integraram listas contra o PSD”, disse José Faustino à agência Lusa. “Já temos essa lista praticamente concluída. Certamente que será mais do que uma dezena”, afirmou, sem adiantar quando será enviada a lista de nomes.

O actual vice-presidente da Câmara de Sintra, Marco Almeida, eleito pela coligação Mais Sintra (PSD/CDS-PP), e militante social-democrata há mais de duas décadas, encabeçou uma lista de um movimento independente às autárquicas de domingo.

Nas listas do movimento independente “Sintrenses com Marco Almeida” encontravam-se vários militantes sociais-democratas, um líder histórico do partido, António Capucho (candidato à Assembleia Municipal), bem como autarcas eleitos pelo PSD.

Marco Almeida decidiu avançar como independente, depois de a distrital do PSD ter optado por levar a eleições o vice-presidente dos sociais-democratas, Pedro Pinto.

Segundo o presidente da concelhia, a iniciativa de enviar a carta com o nome dos militantes que “fizeram parte das listas não indicadas pelo PSD” partiu da própria estrutura local do PSD.

A agência Lusa tentou falar com Marco Almeida que, ao longo do dia, se manteve incontactável.

Na quarta-feira, António Capucho disse que a ameaça de expulsão feita na terça-feira por Marco António Costa, porta-voz do partido, aos militantes que se candidataram nas autárquicas como adversários “são uma tentativa de desviar as atenções da derrota eleitoral”.

O co-fundador do PSD reagia assim às declarações de Marco António Costa, vice-presidente e porta-voz do PSD, à margem da reunião do Conselho Nacional do partido, em Lisboa, de que ou os sociais-democratas que concorreram contra o partido nas eleições autárquicas suspendem a sua inscrição como militantes ou o Conselho de Jurisdição tratará da questão.

Em declarações à agência Lusa, Capucho lembrou também que já suspendeu a sua inscrição como militante do partido há mais de dois anos.

“Eu tenho a minha inscrição suspensa há muito tempo, mesmo antes de ser candidato numa lista independente no concelho de Sintra. Há cerca de dois anos senti que estava em rota de colisão com o partido e suspendi a minha inscrição”, salientou.

Os estatutos do PSD estabelecem que “cessa a inscrição no partido dos militantes que se apresentem em qualquer acto eleitoral nacional, regional ou local em candidatura adversária da candidatura apresentada ou apoiada pelo PPD/PSD”.