Pedro Soenen
Foto
Pedro Soenen

Megafone

Príncipe Real: com os pés no Terra

Ali, tudo na verdade tem bom aspecto, não aquela aparência normalizada de fruta perfeita, grande e brilhante, mas um aspecto simples, não polido e natural

O Jardim do Príncipe Real é um espaço que acolhe diversos eventos com regularidade, por entre dois quiosques, para se tomar um café ou um refresco, um restaurante com uma ampla esplanada e até um parque infantil para a animação dos mais pequenos. Um Cedro-do-Buçaco com mais de 20 metros de diâmetro dá um toque romântico ao jardim, que tem sido palco do mercado Biológico todos os sábados de manhã, desde há alguns anos.

E nós já nos acostumámos ao passeio com um cheirinho a horta em plena cidade, por entre frutas e legumes frescos, laureando a pevide entre as outras sementes e os alimentos vendidos directamente pelos respectivos produtores. A Guadalupe passeia aconchegada a mim no "sling" e vai-se deliciando com tudo o que vê, especialmente a frutinha biológica!

Ali, tudo na verdade tem bom aspecto, não aquela aparência normalizada de fruta perfeita, grande e brilhante, mas um aspecto simples, não polido e natural. O mercado é concorrido e tem um ambiente familiar, fazendo-me relembrar que podemos e devemos ser mais cuidadosos com a nossa alimentação para além, claro, de nos abrir o apetite!

Para satisfazer o desejo de comida saudável que de antemão já sabíamos que iríamos sentir, reservámos uma mesa e seguimos rumo até ao restaurante vegetariano Terra, também situado nas imediações do Príncipe Real. Com uma decoração simples, inspirada pela iconografia tibetana, à base das madeiras escuras e luzes suaves, tem uma parede repleta de testemunhos, alguns de celebridades, a elogiar o espaço e um pátio extremamente acolhedor. A simpatia e diligência do serviço é de cinco estrelas e aqui podemos comer tudo as vezes que quisermos, pois o restaurante funciona em regime de "buffet", que é diversificado e os pratos são apelativos e saborosos — até para quem não é vegetariano. Até há uma espécie de cola para "vegans", para além de chás, tisanas e sumos naturais deliciosos.

Ao som de Mozart

No intuito de aproveitar os primeiros dias de Outono, antes da vinda das chuvas, escolhemos a esplanada para almoçar. Infelizmente, as cadeiras de bebé do restaurante são instáveis nas mesas do exterior, o que é completamente desaconselhável. Ainda assim, o pátio é simpático para as crianças, com uma pequena fonte e repleto de sombras de árvores centenárias. Depois de nos servirem as bebidas à mesa e entre várias visitas ao colorido "buffet", a Guadalupe olhou para a sopa de abóbora, hesitou, provou... e aprovou!

Após um passeio inspirador por entre a azáfama do mercado Biológico pela manhã, um belo repasto era merecido na tranquilidade das sombras deste espaço, ao som de Mozart. A pequena Guadalupe, de barriga satisfeita, dava subitamente ares de apreensiva... Mom-Alert!! Num pulo, dirigi-me ao WC feminino onde, para minha surpresa, havia fraldário — mal cabia em mim de tanto contentamento!! Com a lingerie mudada, a pequena ficou logo mais bem disposta e tão fresca como se de um fruto biológico se tratasse. E pensando bem.. não é que o é mesmo?