Redonda e plana, é assim a “ilha do terramoto” no Paquistão

NASA divulga primeiras imagens de satélite da nova ilha surgida após o sismo de 24 de Setembro.

A nova ilha vista do espaço
Fotogaleria
A nova ilha vista do espaço NASA Earth Observatory
Localização da ilha na costa sudoeste do Paquistão
Fotogaleria
Localização da ilha na costa sudoeste do Paquistão NASA Earth Observatory
Uma formação de lama e pedras com 30 metros de comprimento, 76 de largura e 18 de altura
Fotogaleria
Uma formação de lama e pedras com 30 metros de comprimento, 76 de largura e 18 de altura AFP/Behram Baloch
Populares recorrem a barcos para visitar a nova ilha
Fotogaleria
Habitantes locais recorrem a barcos para visitar a nova ilha Reuters
Situada perto de Gwadar, a ilha é agora uma atracção
Fotogaleria
Situada perto de Gwadar, a ilha é agora uma atracção Reuters
Fotogaleria
A ilha é o resultado de um vulcão de lama que emergiu do fundo do mar Reuters
Fotogaleria
Sobreviventes do sismo junto às casas destroçadas no distrito de Awaran AFP/Banaras Khan

O fenómeno, como explicou ao jornal britânico The Telegraph Brian Baptie, responsável pelo Departamento de Sismologia do Instituto Britânico de Geofísica, é o resultado de um vulcão de lama que emergiu do fundo do mar, criado pelo movimento de gases presos no interior da Terra que levaram à superfície um conjunto de lama e pedras.

As novas imagens capturadas pela NASA revelam que a estrutura da ilha, a que chamaram "Zalzala Koh", é relativamente arredondada e plana. É possível ainda notar a existência de bastantes fissuras na sua superfície, que é composta por uma mistura de lama, areia fina e pedras.

A ilha foi criada a partir do terramoto que se fez sentir na zona sudoeste do Paquistão na semana passada, atingindo a magnitude de 7,7 na escala de Richter. O sismo provocou a morte de cerca de 500 pessoas e fez aproximadamente 350 feridos. Para além disso, cerca de 100 mil pessoas ficaram desalojadas. O epicentro registou-se a 380 quilómetros do local onde se encontra a ilha e o impacto foi sentido em todo o Paquistão e até na Índia e no Irão.

Eric Fielding, cientista da NASA a trabalhar no Laboratório de Propulsão a Jacto, disse que muitas destas ilhas têm aparecido a 700 quilómetros da costa sul do Paquistão no último século, porque aí existe um cruzamento da placa tectónica da Arábia com a placa tectónica Euro-asiática, como se pode ler no site do Earth Observatory da agência espacial norte-americana.

Notícia corrigida às 17h16: retira a informação relativa às dimensões da ilha